Notificações Amigos pendentes

      Cifra Club News

      Dicas para escolher madeiras de um violão – Parte I: tampo

      30 de novembro de 2017 8:53 Por Gustavo Morais

      Há músicos que apreciam a ideia de ter um violão feito sob encomenda. Para ter um bom instrumento, no entanto, é necessário estar por dentro dos vários fatores que determinam as qualidades sonoras.

      Gustavo Fofão e seu violão feito por luthier (Foto/Cifra Club)

      Para o músico Gustavo Fofão, instrutor do Cifra Club, no caso dos violões, devem ser observadas características como formato, tamanho, qualidade e estado de conservação das cordas, o acabamento do corpo, a habilidade do luthier e as madeiras usadas como matéria-prima.

      As madeiras escolhidas para compor cada parte do instrumento determinam com igual peso o som de um violão

      Pensando nesta questão da matéria prima, ao longo de três reportagens, nós iremos tratar sobre as madeiras do braço, da escala, e mais especificamente do corpo do violão, que tem maior valor no resultado sonoro final. Se você quer mandar fazer o seu violão, não deixe de conferir os textos até o final! Cada palavrinha poderá te ajudar a mapear o som de seu instrumento!

      Importante: Para escolher a madeira que será usada na confecção do instrumento, muitos fatores são levados em conta, como a disponibilidade do recurso na natureza, a resistência do material, o preço e as características sonoras que são inerentes à cada espécie.

      Parte I – Madeiras do Tampo

      Geralmente chamado soundboard, o tampo do violão é o grande responsável pelas características iniciais do som do instrumento, como o volume, o ataque, o sustain e o “timbre inicial”.

      Tampo de um violão Eagle (Foto/Site Eagle)

      Esta parte do instrumento indica o básico acerca de sua “natureza sonora”, que é moldada a partir da escolha das outras partes do corpo, e pelos outros fatores.

      SPRUCE

      É muito comum o uso de madeiras da família Spruce, gênero que abriga aproximadamente 35 espécies. São coníferas, isto é, as típicas “árvores de natal”, encontradas nas regiões de clima temperado/boreal do norte do planeta.

      É resistente e muito escolhida por sua disponibilidade e por ser possibilitar cortes com dimensões suficientemente grandes para compor o tampo.

      SITIKA SPRUCE

      Nos violões de aço, é muito comum o uso do Sitka Spruce, madeira de coloração clara, bastante abundante e que resulta em instrumentos com boa projeção sonora e som bastante “vivo”, com muito ataque.

      Sitka Spruce (Foto/Site Taylor)

      O timbre é claro e é possível manter as notas destacadas mesmo com a dinâmica bem forte.

      ENGELMANN SPRUCE

      Geralmente mais clara do que o Sitka, a Engelmann Spruce apresenta um timbre mais morno e mais completo em termos das frequências sonoras.

      Engelmann Spruce (Foto/Site Taylor)

      Por outro lado, instrumentos que tem o tampo feito em Engelmann não costumam apresentar a mesma clareza nas notas quando comparados aos de Sitka, especialmente quando tocados com muita força, exigindo muito volume.

      ADIRONDACK SPRUCE

      Também chamada Red Spruce, a Adirondack Spruce é considerada por muitos a melhor madeira para luteria de violões de cordas de aço. A espécie foi muito usada no período anterior à II Guerra Mundial, e tornou-se uma referência por reunir a clareza e volume do som com as qualidades acústicas refinadas de outras espécies.

      Adirondack Spruce (Foto/Site Taylor)

      Geralmente, Adirondack Spruce é a escolha de modelos Top de diversas marcas. Infelizmente, devido ao intenso desmatamento, não estamos falando de uma madeira fácil de ser encontrada.

      ● SILVER SPRUCE

      Semelhante ao Spruce encontramos diversas espécies, como o Abeto e os Pinhos, especialmente nos violões com cordas de náilon. Existe ainda uma espécie de Spruce muito comum nos violões clássicos, o Silver Spruce (ou Spruce Europeu), semelhante ao Engelmann, mas que apresenta melhor ataque e ambiência.

      Silver Spruce (Foto/Site Taylor)

      As madeiras para construção de violões com cordas de aço e náilon podem variar bastante devido à forma com que os instrumentos são tocados e com a resposta sonora esperada para cada tipo, sendo que o violão com cordas de náilon necessita de um tampo geralmente mais fino e de uma madeira que consiga passar bem o ataque das cordas com um menor estímulo.

      ● CEDRO

      Também chamado Cedro Vermelho, ou Western Red Cedar, o Cedro é reconhecido pelo timbre quente, que perde um pouco na nota fundamental mas apresenta conteúdo bem diverso em outras frequências.

      Cedro Vermelho (Foto/Internet)

      Violões com tampo em Cedro são uma ótima escolha pra quem procura um instrumento que deixe os acordes cheios, com graves preenchidos e especialmente para combinar com outros timbres de violões diferentes, compondo naturalmente uma bela mixagem.

      ● MAHOGANY (MOGNO)

      Apesar de não ser muito comum nos modelos que encontramos aqui no Brasil, é interessante citar o Mogno devido a confecção de instrumentos com mais clareza nos registros médios e agudos e um som bem “amadeirado”, muito comum nas canções antigas de blues.

      Mahogany (Foto/Internet)

      Certamente, o Mogno não é a escolha de quem procura um primeiro violão de aço, ou um instrumento com sonoridade diversa, mas ainda sim vale ressaltar que o uso dessa madeira no tampo pode produzir maravilhosos instrumentos, com sonoridade única.

      Muito bem, amigo leitor! Na próxima semana, nós iremos conversar sobre as madeiras usadas nas partes laterais e fundo do violão. Fique ligado, pois o conteúdo é imperdível!