Notificações Amigos pendentes

      Cifra Club News

      CEO da Gibson culpa lojistas por crise; acionistas exigem novo líder

      5 de março de 2018 10:29 Por Gustavo Morais

      Ao longo das últimas semanas, a crise envolvendo o mercado de guitarras tem sido um dos assuntos mais comentados no universo musical. A Gibson, por exemplo, está à beira da falência e amarga uma dívida sem precedentes em sua longeva trajetória.

      Henry Juszkiewicz diz que lojista são responsáveis por crise (Foto: Site Oficial)

      Durante entrevista recente à revista Billboard, o CEO da GibsonHenry Juszkiewicz, afirmou que as lojas de instrumentos musicais são responsáveis pela queda nas vendas. Em sua teoria, o CEO supõe que os revendedores de guitarras têm medo de aderir ao e-commerce e, por isso, o setor mantém os dois pés no passado. De acordo com Juszkiewicz o temor é fruto de uma crença na tradição de que as pessoas necessitam ter contato direto com o instrumento antes de comprar.

      As guitarras são únicas. Estamos falando do tipo de produto que é preciso sentir antes de tomar a decisão de compra-lo

      Em outro momento da conversa, Henry Juszkiewicz criticou a falta de organização das lojas instrumentos. Segundo Juszkiewicz, os lojistas pecam por não investirem em merchandising e logística.

      Uma boa parte das lojas não tem nem lugar para as pessoas sentarem. Não são locais confortáveis. Se você quer conquistar clientes, é preciso ser cordial e oferecer um lugar que seja confortável. [...] No Walmart, por exemplo, os vendedores sabem em qual corredor está determinado produto. Experimente entrar em uma loja do Guitar Center e tente me dizer onde os instrumentos estão. Você nunca sabe o que vai encontrar por lá

      Apesar de reconhecer a importância e a necessidade da venda presencial, Juszkiewicz revelou que a Gibson em breve vai comercializar instrumentos pela internet.

      Rejeição por parte de credores

      Com um diploma da Harvard Business SchoolHenry Juszkiewicz é o mandatário da Gibson desde 1986. A maneira de Juszkiewicz encarar as coisas, no entanto, não é exatamente bem vista aos olhos dos credores da Gibson.

      O populista Henry fazendo um som com Ace Frehley (Foto: Site Oficial)

      Apesar de concordarem que apesar do momento ruim, a marca tem salvação, os principais acionistas da GibsonJuszkiewicz não estão na mesma página. De acordo com os sites Bloomberg e Guitarload, os acionistas da marca “já se decidiram quanto às condições para a realização de um acordo de resgate: a escolha de um novo CEO para a empresa”.

      Por sua vez, Henry Juszkiewicz dá indícios de que não tem planos para abandonar o posto. Guardadas as devidas proporções, ao que tudo indica, ele não será o Steve Jobs das guitarras. No meio desse cabo de guerra, a lendária marca acumula uma dívida na casa dos US$ 375 milhões. Caso o pagamento não seja efetuado ou seja feito um refinanciamento até 23 de julho, um empréstimo bancário no valor de U$145 milhões será adicionado ao saldo devedor.