Notificações Amigos pendentes

      Cifra Club News

      Teorias da Conspiração: Kurt Cobain foi assassinado ou se suicidou?

      5 de abril de 2018 8:58 Por Gustavo Morais

      No dia 8 de abril de 1994, o músico Kurt Cobain foi encontrado morto em sua casa, na cidade de Seattle, nos EUA. De acordo com as investigações oficiais, o líder do Nirvana cometeu suicídio três dias antes, ou seja, no dia 5 de abril, há exatos 24 anos, Cobain se matou com um tiro na cabeça. Ele tinha apenas 27 anos e vivia um dos grandes momentos da carreira.

      Nirvana é um dos gigantes da história do rock (Foto: Internet)

      A grande questão é que para muitos fãs, o caso deixou muitas questões não resolvidas. Sendo assim, a morte de Kurt deu ao rock mais uma “Teoria da Conspiração”. Será que ele cometeu suicídio ou foi assassinado? Nesta data oficial da partida Cobain, nós listamos algumas das muitas argumentações que defendem as duas teorias. Após fazer suas análises, amigo leitor, que tal deixar seu voto na enquete? Boas investigações!

      Teoria 1: ele foi vítima de um assassinato

      1. O Sangue não mente

      De acordo com o principal argumento da teoria de assassinato, a quantidade de heroína no sangue de Kurt (1,52 miligrama por litro) era muita para ele ser capaz de puxar um gatilho. Vários toxicologistas defendem essa tese, inclusive. O problema é que o número vem de uma reportagem de um jornal de Seattle, e não da polícia – cujo relatório é confidencial.

      2. Mais uma pro “Casos de Família”

      É sabido que Kurt Cobain e Courtney Love formavam o casal mais explosivo do rock. Também é de conhecimento público que além de não ter um testamento pronto na época em que morreu, Kurt estava prestes a se divorciar de Courtney e pretendia deixá-la de fora de espólio. Com a morte do marido, Love herdou a maior parte dos bens Cobain e também uma boa parte do material do Nirvana. Sendo assim, muitos acreditam que ela tramou a morte dele. O motivo? Simples: a ganância.

      Courtney e Kurt viviam de forma turbulenta (Foto: Internet)

      3. Uma questão de manipulação

      De acordo com os apoiadores da teoria de assassinato, o bilhete de suicídio deixado por Kurt Cobain tem duas caligrafias diferentes: a primeira parte, que teria sido escrita por Kurt, abrange o que seria uma carta do músico para Courtney anunciando o divórcio. Já a segunda, supostamente adicionada por alguém, contém a parte mais dramática, que indicava o suicídio. Logo, muitos acreditam que alguém matou Cobain e adulterou a carta.

      4. Detetive provando culpa de sua cliente?

      Semanas antes de morrer, Kurt fugiu de uma rehab. Love, que estava em Los Angeles, contratou o detetive particular Tom Grant para procurar o marido. Grant chegou a entrar duas vezes na casa atrás de Kurt, mas não achou o corpo, porque ele estava numa estufa em cima da garagem – um cômodo cuja existência Love aparentemente se esquecer de revelar ao detetive. Quando entrevistado para o documentário “Soaked In Bleach” – um dos muitos filmes que revisam o caso Cobain, Grant revelou que a viúva não apresentou sinais de tristezas ao saber da morte do marido.

      Teoria 2: ele realmente se matou

      1. Familiaridade mórbida

      Kurt Cobain conhecia o suicídio desde sua tenra idade, pois houve alguns casos dentro de sua família. Aos 13 anos de idade, ele e alguns colegas de sala encontraram o cadáver de um garoto pendurado numa árvore nos arredores da escola, enforcado. Além do mais, Kurt também já havia pensado em tirar a própria vida, conforme está registrado em seus diários pessoais. A pedido de Cobain, o cenário da gravação do show “Nirvana Unplugged MTV” foi decorado como se fosse um funeral.

      2. Sem adulteração 

      Nenhuma das principais evidências suspeitas, como a arma sem digitais, a dupla caligrafia e a heroína, aponta diretamente para um homicídio. Também não há evidências da presença de uma segunda pessoa na estufa onde o corpo de Kurt foi encontrado.

      3. “Quem não deve, não teme”

      Courtney Love, a principal “suspeita”, não tentou interferir na investigação da polícia nem na de Tom Grant. Segundo Grant, apesar dos pesares, ela o manteve contratado por meses após a morte de Kurt para prosseguir com o caso.

      4. Toda tentativa foi falha

      Diversos livros e documentários já vasculharam o caso e levantaram teorias. Apesar dos esforços, até a data de hoje, não foi encontrada nenhuma informação que confirme que ele foi vítima de uma plano homicida. Desta forma, aos olhos da lei, Courtney Love jamais foi considerada suspeita de encomendar a morte de Kurt Cobain.

      24 anos depois, as causas da morte de Kurt Cobain ainda geram dúvidas na cabeça dos fãs.

      Longa vida à memória e obra de Kurt Cobain!

      #saudades