Notificações Amigos pendentes

      Cifra Club News

      Luan Santana é convidado a depor pela Lei Rouanet

      20 de março de 2017 9:28 Por Damy Coelho

      Luan Santana: cantor precisará dar satisfações ao MinC (Foto: Reprodução/Instagram)

      Os responsáveis legais de Luan Santana foram convidados na última terça (14) a darem explicações para a CPI da Rouanet, em nome da organização do artista, LS Produções. O cantor precisa prestar contas sobre uma verba de mais de R$ 4 milhões de um projeto que acabou sendo arquivado.

      Em 2014, o MinC autorizou a liberação de uma verba de R$ 4.143.325 para a realização do projeto Luan Santana – Turnê: Nosso Tempo é Hoje – Parte II. O valor inicial solicitado pela produtora foi de R$ 4.650.625. Porém, o projeto foi arquivado pela produtora.

      Com isso, o MinC informou que as contas serão encerradas após dois anos sem movimentação. O deputado Domingos Sávio (PSDB-MG) prescreveu o requerimento entregue aos responsáveis pela LS Produções, afirmando que “é preciso conhecer como foi o desenvolvimento da proposta cultural, passando por eventuais adaptações que tenham sido exigidas pelo MinC, como se deu a obtenção da aprovação do projeto cultural junto ao ministério e por que razões os próprios proponentes, mesmo após terem obtido a autorização para a vultosa captação de recursos, solicitaram o arquivamento do projeto cultural aprovado pelo MinC”.

      A assessoria do cantor ainda não se pronunciou sobre o caso.

      Claudia Leitte

      Assim como Luan Santana, outros artistas grandes vêm caindo na “malha fina” da Lei Rouanet. Claudia Leitte, por exemplo, foi intimada a devolver R$ 1,2 milhão ao Minc relativos a turnê apoiada pela lei. Segundo o Ministério da Cultura, houve falhas na prestação de contas sobre a verba usada na turnê. A defesa da cantora vem tentando reaver a situação.

      A abertura da CPI, com a intimação de artistas e produtoras grandes, reafirma a importância da lei para movimentar a cultura, mas, como todo dinheiro público, os recursos devem ser usados com parcimônia e responsabilidade.