Notificações Amigos pendentes

      Cifra Club News

      ‘Não houve ditadura no Brasil’, diz Zezé Di Camargo

      12 de setembro de 2017 14:51 Por Damy Coelho

      (Reprodução/Youtube)

      Com o sistema político em crise, muitos artistas estão se manifestando mais sobre o assunto. Não à toa, a política é um assunto sempre abordado nas entrevistas atualmente. Ao ser entrevistado por Leda Nagle esta semana, Zezé Di Camargo também deu sua opinião sobre o universo político. Quando falou sobre ditadura, porém, não hesitou em ser controverso ao afirmar que a ditadura militar no país “não existiu”.

      O cantor fez um paralelo entre “ditadura” e o que ele chamou de “militarismo vigiado”:

      Vou falar um absurdo pra você, as pessoas vão me criticar, vão achar que sou um maluco. O momento que a gente vive hoje no Brasil… o Brasil lutou muito pela democracia. (…) Mas eu fico com pena de como nossos políticos usaram nossa liberdade que nós conquistamos, que era sair do militarismo… muita gente confunde militarismo com ditadura. Nós não vivíamos numa ditadura, vivíamos num militarismo vigiado.

      Para Zezé, a ditadura militar não existiu no Brasil porque, segundo ele, não é comparável com o sistema político de países vizinhos.

      Ditadura é Venezuela, Cuba viveu com Fidel Castro e até hoje vive (…) Coreia do Norte, China, esses são realmente ditadores. O Brasil nunca chegou ser uma ditadura daquela de ou você está a favor ou está morto

      A apresentadora, então, explicou que também houve muita tortura durante o regime militar. O cantor respondeu: “Exato. Mas não chegou a ser tão sangrenta, tão violenta, como a gente vê até hoje”.

      Zezé chegou a defender que o Brasil voltasse a ter um sistema militar para alcançar uma futura democracia.

      “Eu acredito, aqui dentro comigo… As pessoas vão me achar maluco. Não quero isso jamais para o Brasil, mas eu acho que o Brasil hoje precisa passar por uma depuração. Até pensar no militarismo para reorganizar a coisa, pra botar doutrina de novo e entregar o Brasil democrático de novo como a gente queria”, finalizou.

      “Já tive convite para ser político”

      Leda Nagle e Zezé conversavam sobre televisão, quando Zezé disse que adora assistir aos telejornais. “Seria fascinante se tivesse um programa em que o apresentador desse a notícia e, em seguida, expressasse sua opinião como cidadão”, sugeriu.

      A apresentadora, então, ficou curiosa por saber o interesse de Zezé por política. Foi quando o cantor disse que já recebeu convites para entrar na política.

      “Me considero um cara muito politizado. Mas não imagino sendo político. Já tive convite pra isso, já conversei com alguns políticos. Eles ficam impressionados com meu conhecimento de política”, exalta o cantor.