Notificações Amigos pendentes

      Cifra Club News

      Steven Adler dá sua versão sobre saída do Guns: ‘Eu quis morrer’

      7 de fevereiro de 2018 14:03 Por Damy Coelho

      Steven Adler: ex-baterista esteve ao lado do Guns N’ Roses em sua melhor fase (Reprodução)

      Mais de 30 anos se passaram, mas a saída de Steven Adler do Guns N’ Roses continua rendendo pano pra manga. O baterista foi membro importante dos primeiros anos da banda, e segundo Izzy Stradlin, “era o senso de swing de Adler que dava o sentimento das músicas do Guns”.

      Mesmo assim, o Steven Adler foi expulso pelos integrantes em 1990, por conta de seus abusos de drogas. Pelo menos, esta é a versão oficial dos integrantes.

      Adler abriu o jogo sobre o assunto em entrevista ao programa do YouTube, Mom, It’s Not Devil Music! Por lá, ele deu sua versão sobre a história, alegando que, antes da expulsão, já estava tentando ficar limpo do uso de heroína.

      Confira um trecho da entrevista, disponibilizada pelo site Blabbermouth e traduzida pelo Tenho Mais Discos Que Amigos:

      “Um dia eu pensei, Isso não é legal. Não quero mais usar isso. E eu não sabia que se você usa heroína e aí de repente para de usar, fica violentamente doente – muito doente mesmo. Tipo, o interior dos seus ossos ficam doloridos, dói tanto que você só quer morrer. Eu liguei para o meu empresário e disse, ‘Cara, estou doente pra caralho. Não sei o que está acontecendo. Então ele me levou para um médico, que me deu um bloqueador de opioides. Bom, você não deve tomar um bloqueador de opioides enquanto ainda tem opioides no seu organismo ou ficará ainda mais violentamente doente”.

      Adler contou que não sabia dos efeitos colaterais dos opioides- o que teria sido decisivo para a sua saída da banda:

      Três dias se passaram aí eu liguei para o médico e pergunte, Que diabos você fez comigo? E aí, tipo, quatro dias se passaram e o Slash me ligou e disse, Bom, nós temos que entrar em estúdio para gravar Civil War. E eu disse, Cara, eu estou tão doente. Por favor, não podemos esperar mais uma semana? Estou tão doente. E ele disse, Não podemos jogar dinheiro fora. Temos que gravar essa música. Então eu fui até a A&M Records para gravar, mas estava fraco e doente. E eu fiz o meu melhor, mas tinha que tocar a música tipo, 25 vezes. Então eles ficaram frustrados. E eu falava para eles, Estou doente. E eles ficavam dizendo, Não, você não está doente. Você só está fodido. E eu disse, Eu não estou fodido. Estou doente. E aí eu fui demitido

      O baterista continuou, afirmando que os anos 90 foram terríveis para ele.

      Eu tinha empresários, roadies, uma banda, agentes, contadores – pessoas ao meu redor todo tempo – que eu achava que eram meus amigos e iriam cuidar de mim, aí literalmente, de repente, eu estava sozinho. Não tinha ninguém. Eu tinha certeza de que seria um desses rock stars que morrem de overdose aos 27.

      O baterista, então, explica como foi o processo contra a banda:

      Depois de ser demitido do Guns N’ Roses eu tive que assinar esse contrato. Eles tiraram tudo de mim. Eu não sabia disso. Aí eu tive que processá-los. Perdê-los foi o que me fez perder o controle de tudo. Eu iria ficar sóbrio porque eu já estava de saco cheio das drogas. Eu poderia ter dito, Okay, irei praticar exercícios e ficar sóbrio, mas meu coração estava tão partido que eu nem conseguia pensar nisso. Tudo que eu conseguia pensar era que eu queria morrer.

      Anos depois, após overdoses, rompimentos dos integrantes e o natural amadurecimento de cada um, o Guns finalmente voltou à ativa. E Steven Adler foi convidado para tocar nos primeiros shows de retorno da banda, em um momento emocionante para os fãs saudosos da era Apettite For Destruction.