Notificações Amigos pendentes

      Cifra Club News

      Músico português cria “controle remoto” para instrumentos musicais

      7 de junho de 2018 8:26 Por Gustavo Morais

      João Neves e sua Sensi Guitar (Foto/Arquivo pessoal)

      Durante o curso de licenciatura em “Música Eletrônica e Produção Musical”, o músico e empreendedor português João Neves decidiu concluir seus estudos com um projeto inovador. Com bastante ousadia, pés nos chãos e acreditando no próprio sonho, o jovem entendeu que estava diante da oportunidade ideal para desenvolver sua própria guitarra.

      Foi assim que nasceu a Sensi Guitar, um instrumento convencional com um sistema de controle integrado, que permite interação com equipamentos e software externo. Na prática, o software é ligado a vários instrumentos ou a um microfone e é controlado a partir da guitarra, enquanto o músico toca. No fim das contas, o artista consegue, sozinho, introduzir elementos no show, como vídeos e luzes.

      Inquieto por natureza e motivado pelos feedbacks sobre o projeto, João Neves apresentou a Sensi Guitar na “Lisbon Maker Faire 2015″, uma feira dedicada aos inventores. Sem muita pretensão, Neves revela que participou da feira com a intenção de “recolher mais feedbacks“. A invenção, porém, ganhou projeção midiática e acabou rendendo a João os prêmios nas categorias “Maker of Merit” e “Young Maker”. E foi nesse contexto que surgiu a ideia para a criação do Sensi M, um controlador MIDI modular e sem fios que pode ser aplicado num instrumento permitindo usar a interação com efeitos de uma forma criativa e expressiva. Em conversa exclusiva com o Cifra Club News, o multifacetado artista português deu detalhes sobre o projeto:

      Estes dois prêmios acabaram por ser, de certa forma, uma surpresa para mim. Ao mesmo tempo, tive a oportunidade de aprender e fazer contatos. Comecei a interagir com mais músicos e percebi que apesar de valorizadas, as ferramentas totalmente adaptadas às necessidades deles não são acessíveis e baratas. Também tive a chance de fazer contato com pessoas do mundo dos negócios e percebi que as soluções customizadas por nós poderiam demandar muitos recursos e iriam tirar a capacidade de crescimento do projeto. Foi daí que surgiu a ideia para o Sensi M. Não pretendíamos abandonar o princípio da adaptabilidade às necessidades de cada músico, mas optamos por trazê-la para o lado do usuário, ou seja, conseguimos produzir um produto em massa que, de uma forma muito simples, pode ser adaptado por cada músico

      A adaptabilidade descrita por João é possível graças a uma superfície especial, que não usa colas, mas é capaz de aderir a qualquer superfície lisa. Esses efeitos podem ser aplicados ao som do instrumento onde o Sensi M está aplicado, ou de um outro instrumento, graças ao uso da tecnologia MIDI.

      À direita e perto do captador está o Sensi M (Foto/Divulgação)

      O sistema modular do Sensi M é constituído por dois tipos de módulos: master (“Pressure Atom”) e slave (“Turn Atom”). Na prática, isto significa que o módulo master é responsável por alimentar o módulo slave e receber a informação da interface incluída do módulo slave, enviando-a depois para o dispositivo que está emparelhado com o sistema Sensi M.

      Os módulos do Sensi M (Foto/Divulgação)

      Os módulos ligam-se entre si através de conectores magnéticos e é possível ligar vários “Pressure Atom”, ou seja, é possível ligar vários módulos master.

      A versatilidade do Sensi M permite eu usar, por exemplo, vários [comandos] ‘Pressure Atom’ na minha guitarra para disparar sons de percussão ao mesmo tempo que toco guitarra; e vários ‘Turn Atom’ para controlar o volume de vários outros instrumentos que uso em backing track. Em contrapartida, se você for um músico de banda, o Sensi M pode servir para conectar ainda mais os integrantes, ou seja, imagine um tradicional grupo rock, com um vocalista, um guitarrista, um baixista e um baterista. O vocalista pode usar um ‘Pressure Atom’, por exemplo, para interagir com efeitos de guitarra durante o solo, controlando esses efeitos simplesmente através da pressão que exerce no ‘Pressure Atom’ que cabe na palma da sua mão

      O Sensi M também pode ser usado em modo “standalone”, isto é, controlando instrumentos virtuais, disparando samples, etc. O dispositivo pode ser ligado a qualquer equipamento capaz de receber a tecnologia Bluetooth MIDI.

      A conexão Bluetooth do Sensi M funciona tal e qual como quando conectamos uma coluna ou alguns headphones ao nosso computador, tablet ou smartphone. De forma a aumentar as funcionalidades, o Sensi M inclui um software comunitário em que os utilizadores podem criar, partilhar e fazer upload para o seu o Sensi M diferentes funcionalidades, uma espécie de editor. Isto vai permitir aos utilizadores por exemplo: fazer o Pressure Atom funcionar como um controlo de pressão enviando uma mensagem CC (para quem não está familiarizado com o protocolo MIDI estas são mensagens de controlo) ou fazê-lo disparar um acorde num sintetizador virtual, usando o Turn Atom para seleccionar esse acorde. Queremos dar esta adaptabilidade e versatilidade aos músicos, comenta.

      Sendo um dispositivo modular, o dispositivo permite de que cada usuário crie a sua própria interface, dispondo os seus módulos da forma mais conveniente. As dimensões reduzidas do “Pressure Atom” e do “Turn Atom” fazem do Sensi M o controlador mais pequeno do mercado, capaz de caber no bolso.

      Além de portátil, o Sensi M também pode ser usado em outros instrumentos (Foto/Divulgação)

      Os projetos de João Neves são desenvolvidos pela startup Sensi Music Systems. Para a segunda metade do ano, a empresa vai lançar um crowdfunding para viabilizar a chegada do Sensi M no mercado. Ainda sem perspectivas de preço, pode ser que os dois módulos sejam vendidos por volta de 150€ (algo em torno de R$ 675), o que faz 100€ (R$ 450) para o Pressure Atom e 50€ (R$ 225) para o “Turn Atom”.