Notificações Amigos pendentes

      Cifra Club News

      Muito além do prêmio:veja os artistas que declararam boicote ao Grammy

      8 de fevereiro de 2017 9:02 Por Damy Coelho

      Justin Bieber e Kanye West já afirmaram que não vão ao Grammy (Foto: Reprodução)

      Em tempos de conscientização politica e social, alguns artistas vêm se mostrando incomodados com a indústria do entretenimento, e a música não fica de fora dessa. Músicos consagrados – e que rendem bilhões de dólares a essa indústria – já declararam boicote ao Grammy 2017, sendo que alguns deles inclusive concorrem a prêmios importantes na edição desse ano.

      Justin Bieber, Drake e Kanye West são alguns desses nomes. O curioso é que, juntos, os três foram indicados nada menos que 20 vezes na edição deste ano. Bieber concorre a um dos prêmios mais esperados da noite, o de “Álbum do Ano” com o surpreendente Purpose. Drake concorre com seu trabalho solo e também com sua parceria com Rihanna, que sempre é um sucesso à parte. E Kanye concorre na categoria “Música do Ano” com sua polêmica “Famous”. Detalhe: ao todo, o rapper já recebeu nada menos que 21 Grammys.

      E todos eles já declararam que não estarão em Los Angeles na noite deste domingo (12), mesmo que recebam algum prêmio. Mas por que esses artistas estão boicotando a principal premiação da música, mesmo estando concorrendo em categorias tão consagradas?

      A resposta é a insatisfação a respeito da falta de espaço dos negros nesse tipo de premiação. Assim como o Oscar, que já rendeu boicotes por não dar espaço a negros e diretoras mulheres, a academia do Grammy vem sofrendo críticas severas em relação a isso. E quem “puxou o bonde” foi Frank Ocean.

      O cantor chamou a atenção do mundo da música ao não submeter seu álbum à edição deste ano – quer boicote maior que esse? Blonde foi um dos lançamentos mais interessantes e elogiados de 2016, um belo álbum experimental que mostra a essência mais profunda do cantor, com músicas que vão do R&B à experimentação eletrônica. Caso fosse submetido ao prêmio, o álbum provavelmente concorreria em categorias grandes – até mesmo a de “Álbum do Ano”.

      “O Grammy não me representa”

      Frank Ocean abriu mão do Grammy justamente por não considerar a apuração da academia justa. Para além disso, Frank Ocean declarou que o Grammy simplesmente não representa os jovens – ou seja, a academia, formada por figurões da música, acaba escolhendo sempre mais do mesmo, sem inovar, sem perceber o que os jovens estão ouvindo. Para Frank Ocean, a premiação é “um dinossauro que não representa artistas jovens e negros”.

      A justificativa usada por Bieber é parecida. “Ele acha que o prêmio não é mais relevante e representativo, principalmente no que diz respeito a pessoas da sua geração”, disse uma fonte ao site TMZ. A assessoria de Drake foi mais comedida e disse que o cantor não vai comparecer ao Grammy por que está em turnê.

      Coincidência ou não, após o anúncio do boicote de Frank Ocean, o Grammy divulgou os indicados deste ano. A lista surpreendeu muita gente ao colocar nomes como Ariana Grande e o próprio Justin Bieber concorrendo em categorias importantíssimas. Seria um passo da Academia para negar as críticas de Frank Ocean sobre a representatividade dos jovens no Grammy?

      De qualquer maneira, a parcela de negros que concorre em categorias diversas é quase mínima, em toda a história do Grammy.  Snopp Dogg também já levantou essa bandeira. O rapper não concorreu neste ano, mas fez questão de se pronunciar contra a premiação. “Que tal criamos uma premiação dos negros? Vamos dar a eles tudo o que eles merecem por ontem, hoje e amanhã”, afirmou. A consideração de Snopp Dogg é relevante:  na última década, nenhum artista negro faturou o prêmio de “Melhor Álbum do Ano”. Quem promete fugir deste estigma e pode levar vários gramofones pra casa este ano é Beyoncé – que, afinal, já está acostumada a quebrar paradigmas na música.

      Ainda não sabe se mais artistas vão aderir ao boicote até a noite deste domingo, que é quando acontece a premiação. Porém, a ausência desses artistas já é uma baixa e tanto para o Grammy. O jeito é torcer para que as cobranças desses artistas (que são super relevantes, diga-se de passagem) sejam atendidas nas próximas edições.