Notificações Amigos pendentes

      Cifra Club News

      Especial: a história de sucesso do funk melody nos anos 90

      3 de outubro de 2017 16:36 Por Damy Coelho

      Claudinho e Buchecha foram destaque do funk melody carioca (Reprodução)

      Quem dança até o chão com a batida do MC Livinho ou fica ligado no próximo lançamento do Kondzilla, talvez não tenha noção do quanto o funk já representa uma parte significativa da nossa cultura. Há décadas, inclusive!

      O nosso funk surge por volta dos anos 70, importado – assim como as séries e filmes que passavam TV daquela época. Os hábitos, a moda e a música dos Estados Unidos eram apresentadas aos jovens a todo momento – mas acessível a poucos. Quem morava nas periferias dificilmente tinha acesso a tanto conteúdo de fora, igual àquele reproduzido na televisão.

      Então, o funk e o rap norte-americanos foram incorporados aqui a um contexto totalmente local: os bailes funk nasceram da vontade de juntar muita gente pra dançar ao som de uma música que não tocava nas rádios, sendo acessível só nessas festas. Para além disso, os bailes viraram o principal ponto de diversão para muitos jovens das favelas.

      MELODY

      Nasceu assim: os MCs pegavam os beats dos raps que rolavam nos subúrbios de Nova York e cantavam por cima. O que parecia uma tentativa de imitação do som norte-americano se transformou numa cultura que hoje o mercado valoriza, que gera empregos e, principalmente, serve de vitrine da música popular brasileira atual pro resto do mundo. Enquanto muitos torcem o nariz, cada vez mais artistas e produtores estrangeiros (como o Diplo e Major Lazer) veem nas batidas genuinamente brasileiras uma fonte de inspiração para a chamada “música global”.

      *Para assistir: documentário Funk Rio, de Sérgio Goldenberg, lançado em 1994:

      Hoje, vamos conhecer melhor um pouco do funk melody, que foi a primeira versão do funk que saiu dos morros cariocas para conquistar o Brasil, no início do anos 90. Enquanto Latino, Claudinho e Buchecha e Mc Marcinho eram figurinhas carimbadas nos programas de TV, nomes como Cidinho e Doca, Johny B e Funk Girls se destacavam nos bailes.

      Hoje podemos dizer que o funk melody serviu de base para carreiras de artistas que hoje são consagrados no pop, como a Anitta. Aliás, a cantora – que nunca renegou as raízes do funk – ainda faz em alguns shows medleys de hits clássicos do funk.

      A batida é mais suingada, inspirada no freestyle e no miami bass, enquanto as letras falavam da vida difícil nos morros, ou celebravam o amor. Confira abaixo algumas músicas que fizeram sucesso no progama do selo Furacão 2000 – que foi a grande vitrine dos artistas de funk na época – até aquelas que invadiram as rádios de todo o país.

      1. Melô do Príncipe – Guilherme Jardim e Dj Marlboro

      Música de Guilherme Jardim produzida pelo Dj Marlboro – naquela época, ele já era um nome influente do estilo. Trata-se de uma versão de Just Another Lover, de Ray Guell, com uma letra que hoje poderia ser um hit de sofrência: “Eu não sou só mais um amante/o que você quer ser pra mim?”, diz o refrão.

      2. Vem, Amor – Cashmere

      Mais um som produzido pelo DJ Marlboro que agitou os bailes em 1991.

      3. Não Adianta Chorar – Latino

      Os mais novinhos talvez não se lembrem que Latino despontou com o funk melody. Sucessos como Me Leva e Não Adianta Chorar tocavam a todo o momento nas rádios, o que ajudou a tornar o funk melody ainda mais popular – dessa vez, se espalhando pelo país.

      P.S: o figurino do cantor é um destaque à parte.

      4. Rap do Silva – Mc Bob Rum

      Este verdadeiro clássico do funk carioca foi outro sucesso que saiu do Furacão 2000. Com uma profunda crítica social por trás da letra, Rap do Silva conta a história de um “preto, pai de família” que morreu com um tiro na favela. Na época, era bastante comum os funks receberem o nome de “rap alguma coisa”, mostrando que por muito tempo esses dois gêneros estiveram tão relacionados que às vezes remetiam a um mesmo tipo de beat.

      5. Garota Nota 100 -  MC Marcinho

      MC Marcinho era o cara romântico do funk. Bem antes de estourar com Glamurosa, o cantor já era presença nos bailes cariocas com músicas como Garota Nota 100 e Rap do Solitário, hoje, dois clássicos do funk melody.

      6.  Nosso Sonho, Claudinho e Buchecha

      Claudio e Claurcilei eram amigos que moravam no morro do São Gonçalo e decidiram fazer rap no início dos anos 90. A partir daí, nasce a trajetória de sucesso de Claudinho e Buchecha, que lançaram um dos discos mais vendidos do país em 1998, Só Love.

      E você, tem uma favorita entre essas músicas? Para conhecer mais sucessos que ajudam a contar a história do funk melody, confira a playlist temática do Letras! ;)