Notificações Amigos pendentes

      Cifra Club News

      7 músicas que ajudam a mostrar a evolução dos videoclipes

      16 de dezembro de 2017 11:03 Por Damy Coelho

      Nascido com a única missão de divulgar um trabalho musical para o padrão televisivo, o videoclipe evoluiu bastante ao longo de seus pouco mais de 50 anos de história. Graças à MTV, o clipe se tornou ferramenta fundamental de um músico: super contemporâneo, ele dita moda e traduz as tendências estéticas de seu tempo.

      Por isso, vamos fazer uma homenagem a esse elemento fundamental da música selecionando alguns dos videoclipes que fizeram história. O critério é simples: escolhemos clipes feitos a partir dos anos 80, quando as emissoras de videoclipes já estavam consolidadas, o que favoreceu bastante na evolução estética desses trabalhos. Do pop ao rock, selecionamos clipes inovadores, criativos ou que, de alguma forma, estavam esteticamente à frente de seu tempo.

      Preparado?

      1. Lionel Ritchie – All Night Long (1982)

      É considerado por muitos críticos como o primeiro passo rumo à inovação dos videoclipes. All Night Long apostava em coreografias bem ensaiadas e cenas em plano sequência – uma evolução se comparamos aos clipes paradões e pouco inventivos que foram lançados antes da MTV.

      2. Michael Jackson – Thriller (1982)

      Clássico incontestável que dispensa apresentações. Um mesmo vídeo foi capaz de reinventar a música pop, alavancar a carreira de Michael Jackson e ainda mudar todos os paradigmas sobre roteiro e produção dos videoclipes, que passariam a flertar com a linguagem cinematográfica. Fora que, se não fosse por Thriller, talvez a estética dos filmes de terror dos anos 80 não fosse considerada tão cool – e Stranger Things provavelmente sequer existiria.

      3. Whitesnake – Is This Love (1986)

      A estética “hard rock farofa” não poderia faltar nessa lista, já que foi um dos grandes pilares que sustentavam a MTV nos anos 80. E não tem clipe que resuma mais esse visual quanto o de Is This Love, do Whitesnake. Cabelos (femininos e masculinos) à base muito laquê? Temos. Carão para a câmera? Temos também. É o kit completo do galã roqueiro nos anos 80!

      4. Madonna – Like a Prayer (1989)

      Outro clássico-clichê, mas que não poderia faltar numa lista de clipes inovadores. Like a Prayer foi o jeitinho Rainha do Pop de cutucar a família tradicional, e tocou em temas polêmicos como religião, racismo e sexualidade feminina quando ninguém mais falava sobre esses assuntos.

      5. Guns N’ Roses – Estranged (1992)

      Com a MTV já consolidada pelo mundo (inclusive no Brasil), os anos 90 marcaram a época de ouro dos videoclipes. Todo mundo aguardava ansiosamente pelo clipe novo de seu artista favorito, já contando com uma super produção. E os artistas entregavam clipes cada vez mais elaborados e bem roteirizados. É o caso de Estranged. Com mais de 10 minutos (se não for grande que nem um filme, eu nem quero! diriam os fãs), foi considerado o clipe mais caro da história: foram mais de 4 milhões de dólares para contar uma história de trauma amoroso e crise existencial protagonizada por Axl Rose.

      6. Nirvana – In Bloom

      A banda figurinha carimbada da MTV e representante do movimento grunge pelo mundo também tem a sua relevância nessa lista. Indo ao encontro da estética simples e sem firulas do grunge, o clipe é curtinho e não mostra mais nada além da própria banda dublando a música. Tudo isso seria irrelevante se o clipe (todo em preto e branco) não resgatasse o clima dos programas de auditório dos anos 60 – e depois, mostrasse os integrantes quebrando tudo (literalmente) no palco. Mais grunge, impossível.

      7. Blink 182 – All The Small Things (2000)

      A sonoridade irreverente e debochada do Blink 182 só poderia render clipes com essa mesma temática. Dos muitos vídeos de sucesso que a banda lançou no início dos anos 2000, destacamos o de All The Small Things, por fazer um resumão hilário da estética de clipes pop que bombavam na MTV.

      8. Lady Gaga e Beyoncé – Telephone (2009)

      Imagine juntar duas grandes divas do pop em um clipe? Agora, some isso a um roteiro inspirado em filmes de Tarantino como Kill Bill, todo colorido e cheio de efeitos gráficos? Temos aí Telephone, e, quem diria, um precursor da tendência da sororidade feminina no pop.

      Curtiu? Fique de olho nas próximas edições do #especialvideoclipes!