Notificações Amigos pendentes

      Cifra Club News

      Tentando formar um grupo? Conheça bandas de um homem só

      23 de junho de 2009 10:39 Por Cássio Lignani

      Imagine tocar guitarra, baixo, gaita, bateria, teclado e cantar ao mesmo tempo. Parece impossível, mas as bandas de um homem só rompem limites e revelam músicos versáteis que se viram como podem.

      Joe Hill Louis: bluesman e one-man band

      Joe Hill Louis: bluesman e one-man band

      Também chamados de homens-orquestra, esses músicos não são apenas multi-instrumentistas, porque além de tocar vários instrumentos, eles devem executá-los simultaneamente.

      Novas técnicas, novos instrumentos

      Dos artistas da Idade Média, que tocavam flauta e percussão, às one-man bands profissionais contemporâneas, muita coisa mudou, mas essência desse trabalho solitário permanece o mesmo.

      O fato de tocar sozinho, seja na rua ou nos palcos, exige que o músico crie e faça algumas adaptações que podem variar de acordo com a sua proposta musical.

      Jesse Fuller (1876 – 1976), bluesman do início do século passado, pode ser considerado uma das primeiras one-man bands modernas.

      Ele usava não só o suporte de gaita, como também utilizava pedais para tocar baixo e outro para fazer a marcação com a bateria. O baixo tocado a pedal é invenção atribuída ao próprio Fuller e batizada de fotdella.

      Veja abaixo um vídeo de Jesse Fuller tocando “San Francisco Bay Blues” com o fotdella.


      Seguindo uma linha mais contemporânea, o músico e one-man band conhecido artisticamente como Son Of Dave também precisou desenvolver algumas técnicas.

      “Eu inventei o beatbox com gaita – pelo menos eu fui o primeiro a fazer isso profissionalmente. E eu fui um dos primeiros a usar um pedal de loop para criar uma apresentação de um homem só”, disse Son Of Dave em entrevista ao Cifra Club News.

      No vídeo abaixo é possível vê-lo tocar a música “Harder, Better, Faster, Stronger”, do Daft Punk, fazendo o beatbox com gaita e trabalhando com o pedal de loop.


      O pedal de loop é utilizado por bandas de um homem só para repetir a linha harmônica de um determinado instrumento enquanto os outros são tocados. Esse equipamento, utilizado por muitos músicos e grupos, deu mais versatilidade aos artistas que trabalham sozinhos.

      King Automatic, da França, que fez algumas apresentações no Brasil em outubro de 2008, também faz uso desse pedal. No palco, ele utiliza uma guitarra, um teclado, um bumbo – tocado com o pé direito –, um tarol – tocado com o pé esquerdo –, um prato – tocado com o braço da guitarra – e o pedal de loop para criação e repetição de samples.

      Além de toda a estrutura que permite King Automatic tocar vários instrumentos ao mesmo tempo, ele destacou ao Cifra Club News que precisou ficar atento a outros aspectos de suas apresentações.

      “Tive também que aprender a me concentrar nos shows para o ajuste do som, as frequências graves e agudas de cada instrumento”, disse King Automatic.

      Confira abaixo um vídeo de King Automatic tocando “Here Comes The Terror”.


      Não seria mais fácil tocar com outros músicos?

      Hasil Adkins (1937 – 2005), uma das lendas do rockabilly, preferia tocar sozinho porque dificilmente os outros músicos convidados conseguiam acompanhá-lo, o que o irritava profundamente.

      Durante uma sessão com um grupo, um dos integrantes teria lhe perguntado qual era o tempo da música. A resposta de Adkins foi um grito.

      Além das dificuldades que envolvem as relações humanas entre os membros de uma banda, Son Of Dave diz que tocar sozinho dá mais liberdade e contribui à improvisação.

      “Eu nunca toco as músicas duas vezes da mesma maneira. Elas sempre têm pequenas diferenças. É natural. E fazer novas músicas é como dançar com uma mulher flexível, pequena e bêbada. Muito fácil e engraçado”, destaca.

      Assim como Son Of Dave, King Automatic também ressalta a liberdade de tocar sozinho, mas lembra que há limites.

      “O inconveniente é que eu fico limitado no acompanhamento, o que vai dar uma característica minimalista à música. Percussões primárias, presença de palco limitada…  mas tudo isso pode se tornar um estilo. É bom também amplificar essas carências!”, acrescenta.

      Seis One-Man Bands para conhecer melhor

      Son Of Dave – músico canadense radicado em Londres, Benjamim Darvill foi membro da banda Crash Test Dummies e desde 2000 trabalha em seu projeto solo como Son Of Dave, com quatro álbuns lançados. Seu trabalho pode ser conferido em sua página no MySpace.

      King Automatic – músico de Nancy, França, já lançou três álbuns inéditos, vários singles e compactos. Foi baterista da banda de rock francesa Thundercrack e desde 2003 atua como one-man band. É possível conhecer mais no site oficial de King Automatic.

      Bob Log III – norte-americano com cinco álbuns lançados, suas apresentações são marcadas por forte apelo visual. Bob Log III já tocou em mais de 30 países. Para escutar suas músicas, basta acessar o MySpace de Bob Log III.

      Hasil Adkins (1939 – 2005) – lenda do rockabilly, o norte-americano Hasil Adkins é influência de muitas one-man bands atuais. Tem 12 discos lançados.

      Jesse Fuller (1896 – 1976) –  bluesman norte-americano e inovador, começou tocando em bares de São Francisco. Criou o fotdella – baixo tocado com os pés. Sua música “You’re No Good” foi gravada por Bob Dylan.

      Joe Hill Louis (1921 – 1957) – outro bluesman norte-americano, um dos primeiros músicos de one-man band a gravar comercialmente. É co-autor da música “Tiger Man”, gravada por Elvis Presley.

      Comente à vontade, mas pegue leve com os palavrões e/ou ofensas senão seu comentário pode ser editado ou deletado. =)