Notificações Amigos pendentes

      Cifra Club News

      O ativismo social e ambiental do Pearl Jam em Belo Horizonte

      23 de novembro de 2015 8:22 Por Lorena Camilo

      Eddie Vedder com seu pronunciamento em português em mãos

      “Vou começar dizendo com algo que nunca disse antes: E aí, Belo Horizonte? Temos um bom pressentimento sobre essa noite. O Mineirão é nosso hoje! Vamos tocar muito!”. Essas foram as primeiras palavras em português que Eddie Vedder, vocalista do Pearl Jam, pronunciou no dia 20, no Estádio Mineirão em sua primeira passagem pela capital mineira.

      Na segunda vez que o vocalista arriscou falar em português, foi um momento totalmente diferente de todas as suas tentativas em falar o idioma. Vedder não pronunciou sobre a paz mundial, como sempre acontece; pediu justiça. “Acidentes tiram vidas, destroem rios, e ainda assim, eles conseguem lucrar. Esperamos que eles sejam punidos. Duramente punidos. E cada vez mais punidos. Para que nunca esqueçam o triste desastre causado por eles”, disse Vedder.

      Aperte o play e assista ao pronunciamento:

      Nesse momento todo o público esperava os primeiros acordes de “Do the Evolution”, pois alguns dias antes da data do show em Minas Gerais, uma fã, Letícia Piancastellie, compartilhou no Facebook o pedido que ela enviou para a banda, que é conhecida mundialmente por ser ativista de causas sociais e ambientais. Letícia pediu que Vedder dedicasse a música do quinto álbum “Yield” para as mineradoras Samarco, BHP e Vale pelo desastre que ocorreu com o rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, que teve um grande número de vítimas e deixou um enorme prejuízo ao meio ambiente.

      A fã, logo após enviar seu pedido, convidou a todos que compactuassem com a causa escrevessem um e-mail, ou copiassem o que ela enviou, para o “activism@pearljam.com” (e-mail destinado especialmente ao ativismo da banda) com o assunto “Environmental disaster near Belo Horizonte”. O objetivo da campanha era aumentar a consciência internacional sobre o desastre, e trazer mais ajuda para as pessoas que estão sofrendo sem água. E, principalmente, chamar a atenção dos cidadãos brasileiros, para exigir das autoridades que os responsáveis pelo acontecimento sejam levados à justiça e à reparação do dano ambiental. Via Twitter, o Pearl Jam Activism agradeceu aos fãs por manterem a banda informada.

      Entretanto, a música que veio logo após o discurso de Vedder foi “Infallible”, que demonstra a ideia de finitude da vida humana e da natureza. E, não por acaso, a letra reflete perfeitamente o discurso e o desastre ocorrido. Passaram-se outras músicas da setlist, e para a surpresa das 42 mil pessoas que se encontravam no Mineirão, Vedder anunciou em inglês que o cachê recebido na performance daquela noite será revertido em doações para as vítimas da tragédia em Mariana. Revelou, ainda, que a banda pretende criar um fundo de assistência para os atingidos pelo desastre. E após ser aplaudido e ovacionado, a banda começou a tocar a tão esperada “Do the Evolution”, que faz uma dura crítica à sociedade, mostrando o que o homem fez e ainda faz em nosso planeta desde os primórdios da humanidade.

      A T4F, empresa responsável pela turnê do Pearl Jam no Brasil, confirmou que as falas do vocalista são verídicas, mas que a banda ainda não informou o valor que será doado.

      Durante o set acústico, novamente sobre o atentado terrorista na França, Vedder falou: “Uma terrível tragédia aconteceu semana passada. Por favor, acendam seus celulares e vamos mostrar a todos a nossa força, amor e apoio a Paris”. E nesse momento o Estádio inteiro atendeu ao pedido, ao som de “Imagine”, de John Lennon. Carisma, presença de palco, três horas, 36 músicas, discursos ativistas, um show à parte e uma data memorável para todos que compareceram.

      Pearl Jam e ações beneficentes

      Alguns podem pensar que a ação da banda foi um caso isolado, mas o grupo sempre se mostrou preocupado e bem posicionado com as diversas causas ambientais, sociais e políticas. Conheça algumas de suas ações ao longo dos anos:

      Em 1992, Eddie Vedder expressou suas opiniões sobre o aborto. E no Acústico MTV, também em 1992, protestou enquanto a banda tocava “Porch”. Durante a performance escreveu em seu braço a expressão “pro choice”, ou seja, “pró-escolha”. E ainda sobre essa música, em 1993, colaborou para um álbum beneficente.
      Em 1996, participou de uma campanha pela proteção das praias e dos oceanos. E em junho de 1997, um álbum triplo foi lançado em repúdio à opressão da China sobre o Tibete. A banda Beastie Boys organizou um festival, e o Pearl Jam estava entre diversas bandas participaram.
      Em 1999, no lançamento do single “Last Kiss”, a renda foi em prol dos desabrigados e refugiados da guerra em Kosovo. A renda foi enviada à entidade CARE. Já em 2001, participaram da gravação de um CD e DVD “A tribute to heroes” em prol das vítimas do terrorismo que atingiu os EUA.

      A banda busca conscientizar o público sobre a doença de Crohn, que trata-se de uma doença intestinal ainda sem cura. O guitarrista Mike McCready sofre com essa enfermidade desde 2002, e os tratamentos médicos apenas aliviam os sintomas. Por essa razão, a banda apoia e ajuda a “Crohn’s & Colitis Foundation – CCFA”.

      Em Seattle, 2003, realizaram um show onde toda a renda foi revertida para as instituições “YouthCare” e “The Orion Center”. Repetiram a boa ação em Chicago, 2005, e realizaram novamente outro show e o lucro foi doado em prol das vítimas do furacão Katrina a diversas instituições, assim como a Cruz Vermelha, a Jazz Foundation of America e a Habitat for Humanity. Não só o Pearl Jam participou deste show, mas também Robert Plant. No ano posterior em Portland, 2006, a renda dos 2.800 fãs que assistiram ao show foi encaminhada para a CCFA. Logo, em 2010,  Mountain View, California, a renda foi em prol da “Bridge School”. Em 2011, Seatte,  a renda foi em prol de ajudar a combater a fome mundial.

      Não é de hoje que a banda está antenada nos acontecimentos e questões ambientais, tanto que em 22 de abril de 2011 foi nomeada “Defensora do Planeta em 2011” pelo “Rock The Earth”, por seu ativismo em prol ao meio ambiente e de seus esforços em grande escala para diminuir suas emissões de CO2. Em 2010 doou uma quantia em dinheiro para a plantação de árvores na região de Washington, nos Estados Unidos. Agora em 2015, a banda irá monitorar suas emissões de dióxido de carbono resultantes das suas performances da turnê “Lightningh Bolt” e compensá-las por meio de investimentos em projetos de redução de emissão de carbono.

      Recentemente, neste mês de novembro, Eddie Vedder anunciou em sua página oficial do Facebook seu apoio a campanha da entidade Global Citizen pelo fim da discriminação e da violência contra as mulheres, incluindo a diferença salarial baseada em gênero. Os fãs que apoiaram a causa em um abaixo-assinado destinado aos líderes mundiais do G20, concorreram a ingressos para a turnê “Lightningh Bolt” na América Latina.