Notificações Amigos pendentes

      Cifra Club News

      Só dá elas: as mulheres do novo sertanejo

      17 de agosto de 2016 10:45 Por Damy Coelho

      Marília Mendonça e Paula Fernandes, estrelas do sertanejo

      Precisamos falar sobre a representatividade das mulheres no sertanejo. Afinal, um estilo musical que sempre foi representado por homens nunca antes viu tantos nomes femininos despontarem. E esse fato é muito mais importante do que a gente pensa.

      No Palco MP3, o maior site de música independente do país, o top 10 já entrega: dos artistas mais acessados de todo o portal, seis são do sertanejo. Desses, quatro são mulheres: a artista mais adorada no Palco é Marília Mendonça, que leva a medalha de ouro no top 10. Na vice-liderança, mais mulherada: Maiara e Maraísa. E Naiara Azevedo vem quase colada no pódio, em quarto lugar. Só dá elas!

      Na Festa do Peão de Barretos, a mais tradicional da música sertaneja, o line up também chama a atenção pra novidade: nunca antes no festival tantas mulheres representaram a música sertaneja na sua essência. Tem Marília Mendonça sim, tem também Simone e Simaria, Maiara e Maraisa, Naiara Azevedo e ainda as “novatas” Bia Lopes e Isabella Rezende.

      Paula Fernandes, nome que ajudou a abrir portas para as mulheres nesse meio, também está lá. Sem contar Thaeme (da dupla Thaeme e Thiago) e Maria Cecília (que canta com Rodolfo), que também representam a força feminina no estilo mais popular do país.

      E se você pensa que o fenômeno acaba no espaço que as mulheres estão conquistando no sertanejo, está muito enganado. Junto com esse espaço vem uma série de outras questões interessantíssimas, que chamam muito a atenção: por exemplo, as letras que elas cantam. Marília Mendonça já disse que prefere mostrar nas suas músicas a mulher independente, que chega junto. Segundo ela, cantar para mulheres é sua missão, porque fazer música que fale para o homem “já é feito desde sempre no sertanejo”.

      Aliás, a sempre autêntica Marília Mendonça já falou muito sobre esse tema. Foi ela também quem deu a dica para quem não está sacando ainda esse fenômeno no movimento musical: “a mulher parou de cantar o que o homem quer ouvir e passou a cantar o que a mulher gosta de ouvir. Por esse motivo é que tem tanta mulher atualmente no sertanejo”.

      De fato: os “therê tchês” estão dando lugar para canções que falam sobre a força da mulher, o que elas sentem quando estão apaixonadas (mesmo que a pessoa não mereça lá tanto amor) e até abrem margem para denúncias sociais: pense na música “Ele Bate Nela”, da Simone e Simaria. O título já é autoexplicativo, mas não custa chamar a atenção para a letra (veja aqui), que encoraja várias mulheres a denunciarem qualquer tipo de abuso.

      Além de tudo isso, essa mulheres ainda mostram muito talento vocal – todas elas têm um vozeirão extremamente potente, além de misturarem o sertanejo com o arrocha e até com ritmos latinos. O sertanejo das mulheres também é versátil, além de tudo. Tá esperando o quê pra ouvir logo essa mulherada?

      Para ouvir o melhor do sertanejo – e das mulheres no sertanejo! – confira o Palco MP3

       

      Marilia Mendonça – A maior representante do sertanejo atual é também o nome por trás de várias composições. Fazendo uma comparação com o pop internacional: se Lady Gaga e Sia ficaram conhecidas por terem começado suas carreiras compondo para artistas grandes (atividade conhecida como ‘ghost writer’), Marilia Mendonça é a representante brasileira desse talento de produzir um hit atrás do outro. Aliás, ela é conhecida no escritório que a agencia como “maquininha” – como se escrever sucessos fosse mesmo algo quase automático pra essa jovem de apenas 21 anos.

      Estamos te contando isso apenas para não puxar sardinha para o que todo mundo já sabe: Marilia Mendonça consegue como poucas expressar a força e a paixão das mulheres em suas letras. Sem medo de ser julgada por beber demais, por comer demais ou até por sofrer por amor sem que isso seja o fim do mundo, Marilia é autêntica como poucos – um dos motivos que faz com que, cada vez mais, ela vá conquistando o Brasil.

      Detalhe: ainda na alusão ao pop, Marília também foi chamada de “Adele do sertanejo”. As letras, recheadas de músicas de amor com o eu-lírico feminino, já escancaram o porquê dessa comparação.

       

      Simone e Simaria – Conhecidas como “as coleguinhas”, Simone e Simaria são simpatia pura. O show da dupla é um espetáculo à parte, por unir grandes hits ao carisma fora do comum das cantoras. Durante um show em Sete Lagoas (MG), os fãs “machos” começaram a jogar cuecas no palco – uma espécie de ‘Wando’ às avessas. A dupla se divertiu com a nova moda. “Essa homarada está muito ousada. Já vi calcinhas no palco, mas cueca? Olha só, Simaria, essa daqui era de um cara mais cheinho”, brincou Simone.

      Mas Simaria já devolveu as provocações da irmã: “Se a gente vê um cara bem feio na plateia eu brinco dizendo que arranjei um namorado pra Simone”, disse em uma entrevista.

      Como não amar?

       

       

      Maiara e Maraisa – Também conhecidas pelo carisma, as irmãs também cantam sobre e para mulheres – e conquistam vários fãs masculinos nessa onda. Elas não têm só aquele 1%, mas “10%” de puro sucesso nas rádios de todo o Brasil.

      Esse hit fala sobre uma mulher que vai encher a cara no bar depois de terminar um namoro (quem nunca??): “Garçom, troca o DVD /Que essa moda me faz sofrer /E o coração não guenta /Desse jeito você me desmonta /Cada dose cai na conta e os 10% aumenta”.
      Sofrência das boas!

       

      Naiara Azevedo – dona do hit “50 reais”, a cantora também não tem papas na língua sobre suas músicas: espere ouvir sucessos sobre a mulher forte, que não se deixa abater mesmo de coração partido. Ou que não hesita em chamar a atual do ex pra bater um papo reto na mesa do bar. As duas podem até virar amigas, mas o homem infiel que elas ‘dividiram’, ah, esse não passa ileso.

      Ah! Não deixe de ouvir a resposta da cantora para “Sou Foda”, funk que foi sucesso no fim dos anos 2000. O “fodão” aqui vira um coitado: “Coitado, se acha muito macho/Sou eu que te esculacho/Te faço de capacho”.
      Recado dado.

       

       

      Bia Lopes – A carinha de anjo disfarça o vozeirão potente dessa cantora. Bia Lopes começa aos poucos a encantar no sertanejo, com músicas que também expõem uma mulher de personalidade forte e muito talento. Não perca as versões da cantora para grandes hits do estilo, como “Nosso Santo Bateu” e “Fico Com Você”. As releituras já demonstram todo o seu potencial.

      Mas se quer ver o talento autoral de Bia Lopes, não deixe de ver o clipe de “Mais Uma Noite Com Você”. Ela já dá a real do que quer e ainda sai toda diva, dirigindo sua Ferrari (!) por aí. Poderosa!

       

      Isabella Resende – Isabella é uma nova musa do sertanejo. Indo um pouco na contramão de suas colegas no estilo, Isabella tem uma veia mais “country”, inspirada em artistas como Sheryl Crow e a própria Paula Fernandes. Coloque sua melhor bota, aquele chapéu, e dê o play em “Cortando Trecho” – na faixa, ela canta com propriedade sobre a vida de peão.

      Perfeita para ouvir no “esquenta” da festa de Peão de Barretos!