Notificações Amigos pendentes

      Cifra Club News

      Bob Dylan pode perder prêmio de US$ 900 mil do Nobel de Literatura

      25 de outubro de 2016 11:09 Por Damy Coelho

      Bob Dylan (Foto: Divulgação)

      Bob Dylan venceu o prêmio Nobel de Literatura. Isso todo mundo sabe, afinal, o assunto teve uma grande repercussão, pois: 1: é o Bob Dylan; 2. É o Prêmio Nobel de Litetatura, o mais importante da categoria.

      Mas muito além disso, a notícia dividiu as pessoas nas redes sociais – muitos comemoraram a vitória do músico, enquanto os mais tradicionais alegavam que Dylan, por suas músicas, não deveria ter levado a melhor sendo que há tantos escritores com livros marcantes que não foram premiados. Enquanto as redes sociais se polarizam com mais uma polêmica, o próprio Dylan parece não estar nem aí para a situação. Tanto que após quase duas semanas de divulgação do prêmio, ninguém da Academia Sueca conseguiu localizar o astro. Por esse motivo, Bob Dylan pode perder o prêmio de U$ 950 mil.

      Desde a divulgação do prêmio, a Academia tem tentado falar com Bob Dylan, em vão. As regras do Nobel são claras: o premiado precisa fazer uma palestra sobre Literatura para receber a quantia em dinheiro. A palestra precisa acontecer até o dia 10 de dezembro, o aniversário da morte de Alfred Nobel. O representantes da premiação já anunciaram que Dylan pode trocar a palestra por um show. Porém, o cantor ainda não se manifestou.

      Wastberg, membro da Academia Sueca, caracterizou o silêncio de Dylan como “mal-educado e arrogante”.

      É importante frisar que o cantor não pode perder o título de Nobel, que já foi concedido pela Academia – mas pode perder o prêmio em dinheiro se não fizer a palestra/show até o prazo estipulado.

      Nobel de Literatura

      O Prêmio Nobel é um dos mais conceituados prêmios na área de Ciência e Literatura, além de premiar pessoas influentes para consolidar a fraternidade entre as nações (o Nobel da Paz). O prêmio foi criado em 1985, por Alfred Nobel. Ele foi um cientista responsável pela invenção da dinamite, e teria ficado incomodado com o uso de seu artefato pelo poder militar, como instrumento de destruição. Por isso, deixou claro o seu desejo de usar parte de sua herança para homenagearem pessoas que colaborassem pelo bem da humanidade.

      O físico deixou uma fortuna de herança no período de sua morte, e os rendimentos dela são usados até hoje para custear o prêmio.

      Não são todos os homenageados que aceitam o Prêmio Nobel. O filósofo e um dos criadores do existencialismo, Jean-Paul Sartre, foi nomeado em 1964 e recusou o prêmio por meio de uma carta. “Um escritor que adota posições políticas, sociais ou literárias deve agir apenas com os meios que são os seus – ou seja, a palavra escrita. Todas as honras que possa receber expõem os seus leitores a uma pressão que não considero desejável.  O escritor deve, assim, recusar ser transformado em instituição, ainda que isso ocorra sob as mais honrosas circunstâncias, como é o caso”, explicou Satre, posteriormente.