Notificações Amigos pendentes

      Cifra Club News

      Nação Zumbi fala sobre preconceito com bandas que vêm do Nordeste

      2 de agosto de 2017 10:14 Por Damy Coelho

      Ney Matogrosso e Jorge Du Peixe durante ensaio para o RiR (Foto: Rock In Rio/Divulgação)

      Com Chico Science, a Nação Zumbi mostrou que dá para colocar uma música carregada de identidade no topo do mainstream. Hoje, com mais de 20 anos de história, eles não precisam provar mais nada. A banda é reconhecida por ter espalhado o manguebeat recifense pelo Brasil, e é considerada um verdadeiro símbolo do rock vindo do Nordeste.

      O convite do Rock in Rio para o Nação Zumbi apresentar com Ney Matogrosso o repertório do Secos & Molhados reforça o respeito que a banda tem entre os figurões da música brasileira. Mas o preconceito de algumas pessoas em relação à banda, tão ultrapassado, ainda existe.

      O vocalista Jorge Du Peixe falou ao G1 sobre o assunto. Segundo ele, um pensamento clássico que algumas pessoas têm é o de não considerar o Nação Zumbi uma banda de “rock”: “Para algumas rádios, o que a gente faz não é rock. Mas então eu preciso que alguém me explique o que é rock“, apontou.

      O pensamento preconceituoso levantado pelo vocalista está longe de ser uma novidade. É como se misturar elementos da cultura local com as guitarras pesadas fosse uma “afronta” ao gênero. Se pararmos para pensar, por exemplo, o Sepultura fez isso com o ótimo Roots e foi abraçado na comunidade metal, uma das mais tradicionais e padronizadas do rock. Então, qual seria o impasse com a Nação?

      Jorge Du Peixe falou também sobre os preconceitos que a banda sofre por ser do Nordeste – o que talvez esteja relacionado ao fato de algumas pessoas não considerarem a Nação um “rock de verdade”.

      Acho que existe ainda um certo preconceito contra bandas que vêm do Norte e Nordeste. Mas a gente se considera uma banda de rock. Com influência de groove do mundo, de hip hop e tal. Mas lá fora a gente é visto dessa maneira [como rock'n'roll]. E aqui é uma coisa muito difícil de se entender até hoje.

      Mas o vocalista mostrou que esse preconceito já foi maior no início. Hoje, eles se consideram “tranquilos” em relação a esse tipo de opinião.

       A gente já derrubou metade do muro. O muro era muito alto. A gente está mais tranquilo hoje. Temos um séquito de fãs, no Brasil e fora. A gente gosta do que faz e não existe unanimidade. Ninguém é obrigado a gostar de nada.

      Independente do preconceito ultrapassado de alguns, a Nação Zumbi segue colhendo os frutos de sua arte. A banda se apresenta no Palco Sunset com Ney Matogrosso no dia 22 de setembro.