Notificações Amigos pendentes

      Cifra Club News

      A evolução musical de Anitta

      16 de setembro de 2017 10:02 Por Damy Coelho

      (Reprodução/Instagram)

      Na semana em que os fãs de Lady Gaga pediram que Anitta a substituísse no Rock In Rio, é (ainda mais) relevante falar sobre a carioca. Hoje, Anita é incontestavelmente a maior artista pop do Brasil. Sites internacionais como a Billboard e Idolator já traçaram perfis sobre a cantora, sempre referindo-se a ela como “fenômeno” ou “rainha do pop brasileiro”.

      Talvez por isso, muita gente se impressione com a evolução meteórica da cantora. E não é pra menos: até 2010, Anitta ainda era Larissa Machado, estagiária de administração da Vale.

      Pouco depois, virou MC Anitta, com contrato assinado com a Furacão 2000.

      Tudo começou quando ela publicou no YouTube um vídeo caseiro super despretensioso, cantando um funk. Despretensioso, mas que já se mostrava uma aposta certeira para uma nova cantora do gênero.

      Em 2012, apenas um ano depois de ser descoberta pela Furacão, a cantora já foi convidada para assinar um contrato pela Warner. Tudo por conta da repercussão de Meiga e Abusada, seu primeiro hit.

      Mas o hit que elevaria a cantora a ser um fenômeno nacional entre crianças e adultos foi mesmo Show das Poderosas. A música entrou para seu primeiro álbum, Anitta, lançado no mesmo ano.

      Em 2013, Anitta foi a cantora que se manteve por mais tempo no topo do iTunes Brasil, sendo eleita a “Artista do Ano” pela empresa.

      No ano de 2014 lançaria o segundo álbum, Ritmo Perfeito. Foi a prova de que ela não seria cantora de um sucesso só. O disco revelaria singles potentes como Na Batida e Blá Blá Blá. Mais um sucesso incontestável.

      Em 2015, Anitta já era uma das principais cantoras do país. Com ampla visão de mercado, a cantora decidiu mexer os pauzinhos para investir em outras sonoridades. Lançou o álbum Bang!, que já flertava com produtores internacionais de renome: Giovanni Bianco, que trabalha com Madonna, foi o diretor artístico do clipe da música título.

      O álbum já apontava para um outro horizonte musical da cantora: o funk ainda era uma essência, mas de longe. O pop e os ritmos latinos sobressaíram nesse trabalho.

      Bang! foi certificado com disco de platina e manteve Anitta no topo. Do topo no Brasil, começou a ganhar projeção mundial graças à sua performance com Gil e Caetano nos Jogos Olímpicos.

      A partir daí, a cantora não parou mais: tendo a simpatia como uma das características mais forte, Anitta fez amigos influentes. Um rolê despretensioso com o Diplo quando ele esteve no Brasil para o Lollapalooza foi o ponto de partida para que ela visasse uma carreira internacional.

      A união foi marcante para ambos: Diplo é pesquisador assíduo de música brasileira e se inspira no funk para criar suas melodias. Anitta já era uma cantora consagrada no Brasil e, workaholic assumida, queria mais. Mas nunca sem perder a humildade.

      Quando você é muito grande no seu país ou no seu mercado e vai para um lugar onde ninguém te conhece, tem que descer alguns degraus e entender que lá você não é ninguém, disse na época de seu lançamento internacional.

      Mesmo assim, Anitta acabou subindo: se apresentou em programas do México, da Colômbia e até no consagradíssimo Jimmy Fallon – antes, nenhum cantor pop brasileiro tinha conseguido este feito.

      Tanto sucesso merece ser celebrado, não é mesmo?! Por isso, vem curtir a nossa playlist com a evolução musical completa da Anitta!