Notificações Amigos pendentes

      Cifra Club News

      U2: em SP, Larry toca com camisa escrito ‘censura nunca mais’

      20 de outubro de 2017 13:31 Por Damy Coelho

      Larry Mullen Jr. durante o primeiro show brasileiro do U2 (Foto:
      Reprodução/Twitter/Marcel Froning)

      O U2 começou nesta quinta (19) a série de quatro shows disputadíssimos na cidade de São Paulo. Como não podia deixar de ser, a banda tocou o repertório do The Joshua Tree – álbum que completa 30 anos e dá nome à turnê – além de outros clássicos, como Sunday Bloody Sunday.

      A música, que carrega a crítica política em sua essência, abriu o show e pareceu se encaixar no contexto atual do Brasil. “Nada mudou”, disse Bono Vox, se referindo às “notícias que não podemos acreditar”, que é entoado no primeiro verso da canção.

      CAUSAS IGUALITÁRAS

      Ao longo do show, o vocalista discursou sobre o direito das mulheres e a causa LGBT. Em certo momento o baterista, Larry Muller Jr., estava usando uma blusa com os escritos “censura nunca mais”, uma clara referência ao movimento que vem fechando exposições de arte pelo país e unindo artistas em luta pela liberdade.

      Em dado momento do show, imagens de mulheres que lutaram por seus direitos das mais diversas maneiras, como Malala e Madre Teresa, foram exibidas. Entre as brasileiras estavam Irmã Dulce, Tarsila do Amaral, Conceição Evaristo e Taís Araújo, descritas por Bono Vox como “mulheres estupendas” (em português mesmo).

      “Quero dedicar essa música [Ultraviolet] para todas as mulheres maravilhosas que dividimos a nossa vida. Mulheres que resistem, insistem e persistem”, disse Bono Vox, enquanto as imagens apareciam no telão.

      CARNAVAL E FUTEBOL

      Enquanto o show do U2 permeava o ativismo, a abertura de Noel Gallagher e sua High Flying Birds foi menos pomposa. Noel dedicou a última música (AKA… What a Life!) para Gabriel Jesus, brasileiro que atualmente joga pelo seu time do coração, o Manchester City.

      O “protesto” só veio com ”Don’t Look Back In Anger“, que foi uma espécie de “trilha sonora de resistência” aos ataques em Manchester . Como não podia deixar de ser, ela foi entoada por grande parte do público que esperava para ver o U2. Digno de um verdadeiro hino.

      Para ouvir os sucessos do U2 que não vão faltar nessa tour, confira a playlist Setlist U2 do Letras!