Notificações Amigos pendentes

      Cifra Club News

      Morrissey defende celebridades acusadas de abuso sexual

      20 de novembro de 2017 11:20 Por Damy Coelho

      (Reprodução)

      Morrissey, que acaba de lançar um álbum, se complicou durante uma entrevista ao site alemão Spiegel Online. Assim como muitos artistas, o ídolo dos Smiths precisou opinar sobre os escândalos sexuais envolvendo celebridades de Hollywood, como Kevin Spacey – que foi acusado de estupro e pedofilia – e o produtor Harvey Weinstein, que recebeu diversas denúncias de assédio.

      O problema é que Morrissey acabou tomando o lado das celebridades em questão, afirmando que a culpa dos assédios seria das vítimas. O músico começou o seu raciocínio comparando uma declaração de amor com um ato de assédio:

      “Qualquer pessoa que já disse um ‘eu gosto de você’ está subitamente sendo acusada de assédio sexual. Você precisa mencionar essas coisas em relações certas. Se eu não posso dizer a nenhuma pessoa que eu gosto dela, como que ela vai saber?”, refletiu.

      Em seguida, falou que as pessoas precisam “relativizar” as denúncias , mesmo que hajam pessoas que, segundo ele, “agem de forma estranha em relação ao romance”:

      Claro, existem casos extremos: estupro é nojento, qualquer tipo de ataque físico é repulsivo. Mas nós precisamos ver isso em termos relativos. De outra forma, qualquer pessoa nesse planeta é culpada. Nós não podemos decidir permanentemente, de um nível superior, o que nós podemos ou não podemos fazer. Se for assim, todos nós estaremos presos. Algumas pessoas são bem estranhas quando se trata de romance, no final das contas. Elas não sabem o que fazer, e que o seu comportamento é agressivo.

      Falando diretamente de Kevin Spacey, Morrissey foi polêmico ao dar a entender que a “culpa” do estupro possa ter sido dos pais e até mesmo da própria criança. Ele ainda afirmou que o Spacey está sendo acusado “desnecessariamente”.

      Eu me pergunto onde os pais da criança estavam. Eu fico imaginando se o garoto não sabia o que podia acontecer. Eu não sei você, mas eu nunca estive em uma situação parecida na minha infância. Nunca. Eu sempre soube que poderia acontecer. Quando você está no quarto de uma pessoa, você precisa ter noção de onde isso pode acabar. É por isso que isso não soa muito verdadeiro para mim. Parece que o Spacey está sendo atacado desnecessariamente.

      Sobre Harvey Weinstein, mais polêmica: Morrissey tentou relativizar as denúncias, afirmando que as mulheres assediadas “entraram no jogo dele”.

      As pessoas sabem exatamente o que acontece. E elas entram no jogo mesmo assim. Depois, elas se sentem envergonhadas ou não gostam disso. E aí se viram e falam: ‘eu fui atacada, eu fui surpreendida, eu fui puxada para a sala’. Mas se tudo tivesse ocorrido bem e tivesse dado a elas uma ótima carreira, elas não falariam mais nisso. Eu odeio estupro. Eu odeio ataques. Eu odeio situações sexuais que são forçadas em alguém. Mas em muitos casos, uma pessoa pode olhar para as circunstâncias e pensar que a pessoa que é considerada a vítima está apenas desapontada. Ao longo da história da música e do rock n’ roll existiram músicos que dormiram com groupies. Se você for ao longo da história, quase todo mundo é culpado de ter feito sexo com menores de idade.

      A recepção das declarações de Morrissey não foi nada positiva: o site Consequence Of Sound detonou o músico: já no título, a matéria insinua que ele mandou um “papo-furado” para defender Spacey e Weistern. Nas redes sociais, as pessoas também se manifestaram contra o cantor.

      Mesmo sendo um ídolo da música com grande legado, Morrissey pode se complicar com essas declarações. Ele acaba de lançar seu primeiro álbum solo em três anos, Low In High School, com composições sobre a guerra e as crises políticas. Curiosamente, o engajamento do cantor permanece presente em sua obra – mas ignora completamente outras questões humanas, como o machismo ou a pedofilia.