Notificações Amigos pendentes

      Cifra Club News

      Drag queens, as novas divas do pop e do funk

      24 de novembro de 2017 17:40 Por Damy Coelho

       

      Alaska Thunderfuck é uma drag queen e performer, que ganhou fama ao participar da 5ª temporada do reality RuPaul’s Drag Race. Hoje, ela é um sucesso que saiu do meio LGBT direto para as paradas da Billboard.

      No início do mês, de olho no mercado latino que vem fazendo fama, a cantora lançou um clipe com temática brasileira: o cenário clichê-pra-gringo-ver tinha, é claro, o Rio de Janeiro e escolas de samba. Mas o nome do single, Come To Brazil, já indica que ela foi além do óbvio e explorou bem de um dos nossos patrimônios tecnológicos-culturais: o meme.

      O brasileiro zoando o próprio brasileiro na internet: o meme “come to Brazil” ultrapassou as fronteiras das nossas redes sociais (Reprodução/Facebook)

      Dá pra notar que Alaska não escolheu o Brasil por acaso: o brasileiro está ocupando em peso a internet desde o início do século, e somente hoje podemos ver mais de perto esse reflexo: estrelas internacionais estão de olho nesse mercado cultural cada vez mais crescente, que vai desde Malumas e J Balvins – as estrelas latinas do momento – querendo parcerias com a Anitta (rainha das redes sociais) até  Katy Perry, Fifth Harmony e outras estrelas caindo na graça do “meme Gretchen” (outra rainha mundial da internet).

      Em tempos de pressão política em muitos países, a cultura pop se rendeu ao humor e à ironia para encarar com um pouco mais de leveza o peso dos problemas atuais. E é nesse mercado que a cultura e os costumes do brasileiro se saem bem, por meio de memes e músicas bem humoradas, debochadas e cheias de atitude. E é nesse espaço que as drag queens brasileiras acharam, finalmente, seu lugar ao sol.

      SÓ DÁ ELAS!

      Aqui, chegamos a um ponto: boa parte dos memes que bombam na internet brasileira vieram de grupos LGBT (como o LDRV, do Facebook), formado por pessoas sempre antenadas na cultura pop e potentes produtoras de conteúdo. A Alaska explorou isso bem, ao usar as gírias “please come to Brazil” e “cracuda”, um humor quase autoirônico que combina com a música pop que essas divas drag fazem: irreverente, corajosa e, ao mesmo tempo, bem produzidas ao ponto de virarem hits.

      O fato de uma das nossas grandes divas pop do momento ser a Pabllo Vittar prova que o mainstream brasileiro está sendo notado em outros países também graças a essa novidade. E o fenômeno Vittar abriu portas para que outras drag queens tivessem liberdade para mostrar seu talento para o Brasil, como Aretuza Lovi e Gloria Groove. As atrês até já fizeram uma parceria, mostrando que não há concorrência quando o assunto é dar visibilidade para uma causa: o respeito e a tolerância.

      Porém, ao contrário de Vittar, que investe num pop que flerta com o tecnobrega e a música eletrônica, boa parte das novas divas drag encontraram espaço para se expressarem no funk. Não é nenhuma surpresa, já que o funk se consolida, no século XXI, como uma das músicas mais democráticas do país, que abarca desde a cultura do morro até os playboys, sempre com uma linguagem sexy, irreverente e bem humorada – definição perfeita para a música dessas novas divas.

      Conheça algumas delas:

      1. Lia Clark

      Outro nome já reverenciado no universo LGBT, Lia Clark bombou com Vittar na música Tome Curtindo. Já com Trava-Trava, primeiro single do seu EP, Lia conquistou espaço para mostrar o seu funk irreverente.

      3. Kaya Conki

      Sabe o funk-pop feito por MC Kevinho ou MC Livinho? Pois a sonoridade de Kaya Conky não deixa nada a desejar pra esses já ídolos pop – com a diferença para a letra, muito mais politizada e “proibidona”.

      3. Mulher Pepita

      Mulher Pepita já era conhecida no funk, e recentemente lançou o refrão “Piranha Até Morrer”, uma paródia com o nacionalmente conhecido hino do Flamengo. Caiu tanto no gosto que já até foi procurada pelos compositores de Pabllo Vittar (os mesmos que trabalharam na letra de Sua Cara): “Sempre quisemos trabalhar com Pepita”, contou Rodrigo Gorky ao Extra.

      LEIA MAIS

      + Evolução musical: Pabllo Vittar