Notificações Amigos pendentes

      Cifra Club News

      Vai comprar palheta? Conheça os tipos disponíveis no mercado

      31 de julho de 2019 10:10 Por Gustavo Morais

      As respectivas histórias do violão e da guitarra possuem um elemento em comum: a palheta [além das cordas, claro ;) ]. A nossa companheira fiel de todas as gigs, luais, ensaios, etc e tal, jamais deixará de ser o item que a gente mais respeita.

      O mercado oferece palhetas estilizadas com identidades visuais de artistas

      Mais alguém aí tem dó de usar essa belezura de palheta? (Imagem/Internet)

      Pensando em tamanha importância, listei aqui os principais materiais usados na fabricação do mais precioso acessório da turma das cordas! Você também conhecerá a palheta mais confortável do mundo, além de dar uma conferida nos tipos mais exóticos de palhetas.

      Bora embarcar no universo “interpalhetário”?

      Palhetas comuns no mercado

      Metal – Produz um som mais limpo do que as palhetas de plástico. Como nem tudo que reluz é ouro, o contato constante do metal pode desafinar as cordas.
      Se ligue: uma palheta de metal que não possui as extremidades torneadas e nem polimento nos dois lados, tende a ficar presa nas cordas. Com isso, você terá um poco de dificuldades na hora de desenvolver o solo.

      Nylon – São extrafinas! Apesar de bem maleável no início, a famosa palhetinha de nylon pode perder essa característica com o tempo e quebrar. Há casos em que as cordas mais finas cortam a palheta de nylon!

      Casco De Tartaruga – Costumava ser um material muito usado, mas por conta de protestos ambientalistas foi proibida em muitos lugares. Muitos fabricantes hoje fazem palhetas com um “falso casco de tartaruga”, para ter o mesmo som e não prejudicar o ecossistema.

      Palhetas podem ser criadas com os mais variados tipos de matéria-prima

      Independente do material usado, a palheta sempre vai sumir (Imagem/Cifra Club)

      Madeira – A variação da sonoridade depende da madeira utilizada na fabricação. Se não for de um tipo mais duro, a palheta pode produzir um som abafado. Com o tempo, ela tende a esfarelar e pede uma nova camada de cera e polimento. São legais para quem gosta de explorar um som mais clean.

      Acrílico – É bem resistente e leve. Apesar de ser feita com um material menos flexível, não costuma quebrar com facilidade. Pode ser usada por músicos de vários estilos, mas fica bem bacana nas mãos de um guitarrista de jazz.

      Celulose - São palhetas bem populares. Geram um bom som, mas não são muito resistentes. Muita gente por aí curte o barulho que a palheta de celulose faz quando entra em contato com as cordas. Ah, aquele sonzinho estalado… Bom demais!

      A palheta mais confortável que existe

      Ela se chama LEAP, e foi desenvolvida pela empresa americana BOG Street Music. O design apresenta um orifício no centro, para que os dedos polegar e indicador entrem em contato enquanto o músico estiver tocando. Segundo os desenvolvedores, tais características reduzem a pressão necessária para segurar a palheta e, consequentemente, aumentam a sensação de conforto.

      empresa americana desenvolveu a palheta mais confortável do mundo

      LEAP, a palheta mais confortável do mundo (Reprodução/Internet)

      A LEAP está disponível nos modelos Lead e Rhythm, cada um com três medidores diferentes para cada ponto. O Rhythm apresenta pontos de .45mm, .70mm e .80mm, enquanto o Lead oferece 0,73mm, 0,996mm e 1,5mm. Apesar de serem ligeiramente maiores do que o padrão, ambas possibilitam movimentos confortáveis ​​e ajustes de aderência para os músicos que gostam de usar a palheta para criar efeitos harmônicos.

      imagem compara o tamanho da Leap com uma palheta convencional

      A LEAP é uma palheta ligeiramente maior do que as convencionais (Reprodução/Internet)

      Para ter sua palheta ergonômica em mãos, você só precisa acessar o site da BOG Street Music e fazer seu pedido. Vai te custar US$ 7.

      Palhetas exóticas

      O céu é o limite para a criação de palhetas! Existem até as palhetas imaginárias [que perca a primeira palheta #QuemNunca uniu as pontas dos dedos indicador e polegar e ficou tocando no ar], não é mesmo? Sendo assim, listamos mais umas palhetinhas marotas para você colocar na sua coleção!

      Acetado e Delrex – São palhetas bem consistentes! Disponíveis em vários tamanhos e espessuras, elas aderem bem aos dedos. O acabamento tende a ser fosco e aveludado.

      Vidro – A palheta de vidro é a mais rara de ser encontrada. Tende a produzir um som bem limpo.
      #FikaDica: nãos e preocupe, pois dificilmente você vai se machucar com uma palheta de vidro. A menos que você toque com uma agressividade incomum, ela não vai quebrar facilmente.

      Jellifish – Equipada com 18 filetes de metal e articulados, essa palheta aumenta a energia e a frequência do som das cordas. Trata-se de um acessório projetado para ser aplicado às técnicas sweep picking, palhetada alternada e palhetada circular.

      Jellifish é uma palheta cheia de fios de metal

      Jellifish é uma palheta realmente peculiar (Reprodução/Internet)

      Para cada tipo de palhetada, o acessório produz um timbre ligeiramente diferente. A sweep picking com a Jellifish lembra o som de um instrumento de 12 cordas. Por suas vezes, a palhetada alternada simula o um som martelado e a palhetada circular produz o efeito de um instrumento curvado.

      Palhetas que brilham no escuro – Apesar da aparência de enfeite, essas palhetas aguetam o tranco! São feitas com materiais que garantem uma boa aderência.

      Palhetas luminosas estão disponíveis no mercado (Reprodução/Internet)

      Você viu que nem comentei sobre as palhetas sustentáveis, isto é, aquelas que fazemos com cartão de crédito, tampa de margarina e demais materiais! E ainda assim, a gente sempre perde as benditas palhetinhas. Mas que tal você revelar qual é o seu tipo de palheta favorito?