Notificações Amigos pendentes

      Cifra Club News

      5 situações que só a geração 80 e 90 vai entender

      28 de fevereiro de 2018 15:02 Por Damy Coelho

      As piadas de tio já fazem parte do seu universo (Reprodução/Twitter)

       

      Você acabou de se dar conta que 1998 foi há 20 anos? Viu como o Bon Jovi mudou e se sentiu velho?

      Volta e meia se pega falando que “na sua época era diferente”?

      Pois saiba que você não está sozinho!

      O Cifra Club elenca 5 situações que todo ~jovem do passado, que já amava música, vai se identificar. Essa é pra quem ia visitar o amiguinho e dava uma olhada na coleção de discos que ficava na sala, para a criança que esperava o clipe das Spice Girls passar na MTV pra gravar VHS, pra galera que só era #teamfitinha porque a fita cassete era mais barata que o CD…

      Se você viveu nesses tempos áureos e gostosos da mídia analógica, vem com a gente!

      1. Uma geração que rebobinava fitas

      “Rebobinar”, tá aí um verbo que morreu junto com os anos 90. Mais surreal do que precisar voltar a fita é quando a parte de dentro enroscava e você estava longe de qualquer aparelho de som. Aí, meu amigo, só usando a caneta.

      #boasorte

      O que acaba entrando no nosso próximo tópico…

      2. A geração que via o potencial multifuncional das canetas

      Lembra quando a gente ainda anotava coisas no papel? #RIP

      Sim, esse recurso foi muito usado também fora da escola, há milênios. E, nessa época, a caneta tinha multi funcionalidade: desde anotar o nome do artista no CD ou na fitinha, até salvar a fita que enroscou de repente, como já dissemos ali em cima.

      SÓ AS MELHORES DO LEGIÃO VOLUME 2(Reprodução/Twitter)

      3. Uma geração que precisava ESPERAR para ouvir sua música favorita

      Isso mesmo. ESPERAR. E não estamos falando de esperar o comercial de 5 segundos do YouTube, não. Às vezes, o ser humano dos tempos passados precisava esperar, literalmente, HORAS para ouvir o som que ele queria. Era o caso da galera que, quando não tinha o CD, fita ou vinil da música favorita, ficava ouvindo rádio com sua fita virgem (dá um Google) a postos, esperando por tempos para que ela tocasse e você pudesse, finalmente, eternizá-la na fitinha.

      Torcer pra não tocarem a vinheta da rádio no meio da música também era um clássico.

      A galerinha da MTV também faz parte dessa: se você quisesse rever aquela entrevista incrível com sua banda favorita, precisava torcer pra ela ser reprisada. E, se desse sorte de isso acontecer, lá ia o jovem tentar gravar com seu videocassete megazord e sua VHS.

      4. Uma geração que precisava lidar com pequenas tragédias

      Imagine só as seguintes cenas:

      • O seu vinil favorito arranhar bem na música que você adora
      • A sua fitinha enroscar no som do carro
      • Descobrir que seu pai gravou um jogo de futebol por cima do seu show favorito na VHS
      • A pilha do discman ou walkman acabar
      • Não poder ouvir discman enquanto corre, pega ônibus ou faça qualquer movimento brusco que interrompe a música ou arranha o seu CD
      • Escolher várias músicas pra botar em um CD, presentear o crush e ele (a) achar sua banda favorita ruim

      Se seu coração deu um leve palpitar de desespero qual alguma dessas possibilidades, parabéns.

      Você está ficando velho.

      (Se você não entendeu nada, desconfiamos que possa ser alguma daquelas crianças do primeiro tweet).

      5. Mas, apesar de tudo, a juventude tinha estilo!

      Na época em que a pochete ainda nem era brega, tinha gente que andava com o walkman pendurado no bolso da calça. Se você já acha pesado carregar seu celular no bolso, imagina só essa belezinha?

      Pelo menos era estiloso, né?

      Pensando melhor, era uma época bem gostosa mesmo!

      Se você concorda, compartilhe com seus amigos! ;)