Notificações Amigos pendentes

      Cifra Club News

      5 sinais de que você estuda música de forma errada

      27 de fevereiro de 2019 10:28 Por Gustavo Morais

      De acordo com a ciência, o estudo da música é uma atividade que só traz benefícios. Se você acessou o link deste post, felizmente o instrumento musical é um de seus amigos de todas as horas. Mas já parou pra pensar que você pode estar estudando música de forma errada? Como queremos que seu aprendizado flua da melhor maneira possível, listamos 5 sinais que indicam falhas em sua metodologia de estudos.

      Músicos e Educadores

      Kiko, João e Mateus te ajudam a não estudar de forma errada (Foto/Montagem)

      Para elaboramos a lista, conversamos com três caras que são músicos e especialistas em ensino musical. Neste post, amigo leitor, você aprenderá com ninguém menos do que Kiko Bragamonte, educador musical; Mateus Starling, músico formado na “Berklee College of Music”; e João de Paula , o experiente instrutor de bateria do Cifra Club. Se você quer aprender um pouco com essas feras, role a página e se ligue nos papos retos!

      1. Dores e incômodos

      Apesar de poético, o tal do “no pain, no gain” só é bacana nos filmes sobre treinamentos de artes marciais. Se você sente dores e incômodos constantes nos dedos, nas mãos, nos punhos e/ou nos braços, saiba que há algo está errado na sua metologia de estudos.

      Dores nos punhos nunca são bons sinais

      Falta de alongamentos gera dores e incômodos (Foto/freepik)

      As razões para esses problemas são muitas. Pode ser algum errinho na sua postura ergonômica com o instrumento, isto é, se você concentra muita força na mão que usa para fazer os acordes, toda a região sentirá os reflexos. Não fazer alongamentos antes de começar as estudar também pode causar dores e incômodos. Sendo assim, reveja sua postura e cuide de seu preparo físico!

      Importantíssimo: em caso de dores muito fortes e aparentemente incuráveis, procure a ajuda de um médico ortopedista.

      2. Queima de etapas

      Um dos erros mais comuns na vida do estudante de música, a queima de etapas é puro reflexo da ansiedade. Quando a gente descola um violão, imediatamente pinta a vontade de tocar os riffs e solos imortalizados pelos caras que são nossos heróis.

      Que perca a primeira palheta #QuemNunca quis “sair correndo” quando acessou a cifra de uma música, lá no Cifra Club, e deu de cara com acordes, tabs, números e símbolos complexos!

      Violão acústico e sua riqueza sonora

      Com o tempo, os acordes complexos estarão na ponta dos dedos (Foto/Pexels)

      O iniciante em música precisa escolher o repertório que está de acordo com a sua condição técnica atual. Aos poucos, o aprendizado vai possibilitando o entendimento acerca das músicas com mais complexidade harmônica.

      3. Confusão acerca de fundamentos básicos

      Quem está começando a tocar e não compreende os conceitos duração de tempo e compasso, dois fundamentos básicos, está fadado a ter uma dificuldade muito grande. Muitas aulas na internet mostram o movimento correto da mão do ritmo [destro ou canhoto], mas se você não sabe que trata-se de um compasso, vai pensar que as “setinhas” [para baixo e para cima] serão diferentes até o final da música. Rola a sensação de que é preciso decorar uma batida com um monte de movimentos, não é mesmo?

      Setinhas representam muito mais do que batidas

      Fundamentos básicos não necessários para entender o que são as “setinhas” (Reprodução/YouTube)

      Se você é iniciante, precisa compreender que existem algumas batidas comuns ao estilo que vai estudar. Essas batidas, inclusive, te permitem a tocar várias músicas. Quanto mais aumentar o seu repertório usando essa mesma batida,  mais você vai aprender a improvisar dentro dessa levada. E quando menos perceber, estará tocando todas aquelas “setinhas” de uma forma musical.

      4. Desânimo com progresso

      São várias as causas do desânimo com o progresso nos estudos. Porém, vamos focar em apenas uma delas: a escolha do conteúdo que será aprendido. Lembrando que conteúdo envolve repertório, técnicas, métodos, etc e tal :)

      Quando a gente tá no colégio ou na faculdade, inevitavelmente, precisamos ter conhecimento acerca das matérias com as quais não temos a menor afinidade. Porém, estudar música não é mesma coisa que tirar um diploma!

      Violão Clássico

      Ausência de conexão emocional com repertório causa desânimo (Foto/Pexels)

      No caso dos estudos musicais, a ligação emocional com o conteúdo a ser estudado é o ponto de partida para um bom aprendizado. Sendo assim, num primeiro momento, evite mergulhar seus dedos em assuntos, métodos e repertórios com os quais você não esteja emocionalmente conectado. Mas como o bom professor conhece as maneiras certas para apresentar novidades aos pupilos, pode ser que as percepções se modifiquem ao longo dos estudos.

      5. Estacionado na zona de conforto

      Se você apresenta pouca desenvoltura ao executar os exercícios tecnicamente simples, e não e tem dificuldade para prestar atenção na fala do professor, saiba que a dispersão e o desinteresse estão tomando conta. Esse caminho perigoso, infelizmente, vai colocar seu aprendizado numa espécie de zona de conforto, pois você vai acabar acreditando que não tem mais para onde evoluir.

      Como você já deve imaginar, a estagnação impede a evolução. Entre as consequências mais prejudiciais, você não conseguirá se aprofundar em fundamentos essenciais como, por exemplo, os exercícios com notação musical [leitura musical] e, no final das contas, será um músico relativamente limitado.

      Violões são mais do que objetos

      Estagnação faz seu instrumento virar um objeto de enfeite (Foto/Pexels)

      Caso perceba que seu aprendizado está caminhando para a zona de conforto, procure rever seus conceitos. Converse com seu professor, envie uma mensagem para os instrutores do Cifra Club [esses caras sempre têm bons conselhos] ou até mesmo busque uma orientação vocacional. Só não fique parado!

      E aí? Reconhece algum sinal de que você estuda música de forma errada? Conta pra gente nos comentários! E já que chegou até aqui, que tal refinar ainda mais a qualidade de seu aprendizado? Para começar, descubra como organizar seus estudos e confia algumas superdicas para melhorar sua metodologia. Ah, e não se esqueça de compartilhar este post com a sua galera e nas suas redes sociais ;)