Notificações Amigos pendentes

      Cifra Club News

      “Como virar guitar hero?” 5 músicas para “ser o Batman da guitarra”

      4 de junho de 2019 9:39 Por Gustavo Morais

      Admita: você pensou que ia abrir o post e dar de cara com algum instrutor do Cifra Club fantasiado de Homem-Morcego, não é mesmo? Há quem diga que Leo Eymard seria um Detetive das Sombras mais fodão do que o Robert Pattinson. Mas essa discussão, a gente deixa pra depois ;)

      Batman é super-herói de várias habilidades, inclusive musicais

      Batman é um autêntico guitar hero (Imagem/Internet)

      Este post, no entanto, vai justificar o seu título. Ao término da leitura, você vai aprender cinco músicas que vão te ajudar a virar um guitar hero. E já que o papo é como ser um “herói das seis cordas”, nada melhor do que ser “o Batman da guitarra”!

      “Mas o que o Cavaleiro das Trevas tem em comum com um guitarrista?”, você sabiamente nos questiona. A resposta é simples: nenhum dos dois precisa de poderes sobrenaturais para ser o melhor no que faz. No caso de nós, que somos da música, precisamos de muita dedicação, estudo, boa vontade e persistência. Porém, nas videoaulas a seguir, vamos entender como algumas características do cara mais badass da galáxia podem colaborar para o nosso dia a dia.

      1. Farewell Ballad – Zakk Wylde

      Viralizada sob o nome “como fazer uma guitarra chorar”, por volta de 2006, essa música tombou a internet. E realmente, o lado emocional é a grande dificuldade dessa canção.

      Para conseguir tocar Farewell Ballad, o guitarrista precisa aliar feeling, pegada, apuro técnico, velocidade e precisão. É preciso ter nervos de aço, né não, assim como os do “Homem-Morcego”!

      Estamos falando, futuro guitar hero, de uma música que dura 1’20”, mas que pode demorar até anos pra ser bem tocada. Prepare suas palhetas, suas cordas, faça seus alongamentos e manda bala!

      2. Rock You Like a Hurricane – Scorpions

      Aqui o rolê ficou sério, bem sério, pois se trata de um dos maiores hinos do rock. Os guitarristas Rudokph Shencker e Mathias Jabs imortalizaram um claro exemplo de dicotomia: as bases são fáceis! Os solos, no entanto, são muito difíceis.

      Além de contar com várias guitarras tocando ao mesmo tempo, os solos são repletos de bends, sequências rápidas com ligados e palhetada alternada. Não podemos nos esquecer dos tappings e harmônicos artificiais, que dão um colorido especial sonoridade e a tornam única.

      Conclusão: para aprender a tocar essa música, você precisa ser um cara frio, articulista e equilibrado. Tem um certo herói, lá de Gotham City, que reúne essas qualidades. Sabe quem é?

      3. Seize The Day – Avenged Sevenfold

      A dificuldade aqui se resume, basicamente, em seu tempo de duração. Estamos falando de uma música que tem muitas partes, solos e um encerramento grandioso.

      Do ponto de vista técnico, destaca-se a sequência de arpejos com o sweep picking presente no solo final. Se a técnica não estiver na ponta dos dedos, não perca seu tempo tentando aprender a tocá-la. Sendo assim, esta canção precisa da frieza que Bruce Wayne carrega em seu DNA.

      4. Carry On – Angra

      Podemos definir essa música em quatro palavrinhas mágicas: precisão, sincronismo, agilidade e feeling.

      Precisão porque músicas de metal melódico, geralmente, exigem que você faça tudo muito bem cravado no tempo. As bases e solos são bem rápidos. O sincronismo entra em cena porque todos os instrumento precisam caminhar juntos.

      Falando especificamente das partes das guitarras, o arranjo é cheio de dobras (solos e bases) que dificultam ainda mais a execução da música. Os solos são bem marcantes e precisam de um domínio técnico muito grande para executar os bends, harmônicos artificiais, ligados e – principalmente – as palhetadas.

      Com base nas linhas acima, entendemos que é preciso ter uma boa estratégia para conseguir tirar essa música. Desta forma, se inspire no senso estrategista do nosso adorado Cavaleiro das Trevas.

      5. Dream On – Aerosmith

      A dificuldade dessa música se resume em tocar todos os mínimos detalhes com muita precisão, sabendo controlar bem a dinâmica e também com uma pegada típica de Aerosmith.

      É o tipo da música que não se toca bem apenas estudando técnica. Tocar o que se pede talvez seja até fácil. O desafio mora na função de tirar um som que seja realmente envolvente. Para tal, é preciso observar tudo nos mínimos detalhes, assim como o Batman age em todos os campos da vida dele.

      E para que você melhore ainda mais o seu arsenal de guitar hero, nós temos mais conteúdos para te indicar! Se quiser dicas para escolher o calibre de suas cordas, você só precisa coferir este post. Agora se estiver precisando de umas  gambiarras que salvam o dia a dia de qualquer músico, não deixe de favortiar este link aqui!