Notificações Amigos pendentes

      Cifra Club News

      Por onde andam os ex-membros do Guns N’ Roses? Venha descobrir!

      17 de junho de 2019 12:33 Por Gustavo Morais

      Matt Sorum e Steven Adler, os ex-bateristas do Guns N' Roses

      Matt Sorum e Steven Adler são dois dos ex-membros mais festejados entre os fãs do Guns (Foto/Pexels)

      A caótica Los Angeles de 1985 foi o cenário do surgimento de várias ícones de hard rock. Entre os destaques daquela geração está a banda Guns N’ Roses, um dos nomes que resistiu ao teste do tempo e conquistou as gerações subsequentes.

      Acontece que ao longo desses quase 35 anos de história, o Guns contou com os serviços de vários músicos. Muita gente entrou, muita gente saiu e pouca gente  ficou.

      Neste post, o assunto é o paradeiro dos ex-membros do quinteto que é até hoje lota estádios e tem suas músicas cantadas em uníssono por fãs de todas as idades.

      Integrantes dos anos 80

      Em seus primórdios, o Guns contava com alguns integrantes que não tiveram pique para continuar com a banda. À sua maneira, cada um deles tratou de sair do grupo e buscar seu próprio caminho.

      Ole Beich – baixo

      Ativo: entre março e maio de 1985.

      Contribuições de lançamento: nenhuma.

      Por onde anda: Beich era dinamarquês e morreu em 16 de outubro de 1991. Ele foi vítima de afogamento, no Lago Sankt Jørgens, no centro de Copenhague.

      Sua família acreditava que ele se tornou depressivo depois de deixar o Guns, em 1985, e abusou das drogas antes de retornar a Dinamarca em 1988. Altos níveis de heroína e de álcool são fatores que contribuíram ao afogamento, mas seus familiares acreditam que foi suicídio.

      Ole Beich foi enterrado na Christchurch (Igreja de Cristo).

      Rob Gardner – bateria

      Ativo: entre março e maio de 1985.

      Contribuições de lançamento: nenhuma.

      Por onde anda: o paradeiro dele é desconhecido, mas tudo indica que está aposentado da música. Sabe-se, no entanto, que seu último show com a banda foi no dia 12 de maio de 1985, no Joshua’s Parloub, na California.

      Rob estava escalado para embarcar naquela que ficou conhecida como The Hell Tour, mas segundo o guitarrista Tracii Guns, “a namorada de Rob lhe deu um ultimato quando ele estava no Guns N’ Roses: era a banda ou ela. Então, não rolou”.

      Primeira formação do Guns N' Roses

      A partir da esquerda: Rob Gardner, Izzy Stradlin, Axl Rose, Tracii Guns e Ole Beich (Foto/Internet)

      Tracii Guns – guitarra solo

      Ativo: entre março e maio de 1985.

      Contribuições de lançamento: nenhuma.

      Por onde anda: assim como Gardner, o último show de Tracii com o Guns foi no dia 12 de maio de 1985. Depois de “tirar o time de campo”, alegando “que a diversão tinha acabado”, ele reformou a L.A. Guns, banda em que sempre foi o patrão.

      Com o L.A. Guns, Tracii seguiu lançando discos, sendo que o mais recente, The Devil You Know, chegou ao mercado em 2019. Em paralelo ao L.A., o guitarrista tocou nas bandas Contraband, Brides of Destruction, Devil City Angels e chegou a lançar três discos com Gilby Clarke, que também tocou no Guns N’ Roses.

      Ex-membros da formação clássica

      Em sua chamada formação clássica, o Guns N’ Roses era escalado por Axl Rose, Slash, Duff McKagan, Izzy Stradlin Steven Adler. Esse quinteto tocou junto entre os anos de 1985 e 1990. Desgastes pessoais e problemas com uso abusivo de drogas trouxeram desunião e, consequentemente, acarretaram no desligamento de dois membros.

      Steven Adler – bateria

      Ativo: maio de  1985 – julho de 1990.

      Instrumentos ocasionais: backing vocals e percussão.

      Contribuições de lançamento: Live ?!*@ Like a Suicide (1986), Appetite for Destruction (1987), G N’ R Lies (1988), Use Your Illusion II (1991) – somente Civil War- e algumas canções do Live Era ’87–’93 (1999).

      Por onde anda: em 1989, os problemas com as drogas começaram a prejudicar os trabalhos de Steven com a banda. Ele não conseguia participar das dos trabalhos de pré-produção do álbum duplo Use Your Illusion. Seu último show como membro oficial do grupo foi no fatídico 7 de abril de 1990, no evento beneficente Farm Aid.

      A formação clássica Guns N' Roses f tocou junta entre 1985 e 1990

      Guns N’ Roses em sua formação clássica (Foto/Internet)

      Steven foi demitido oficialmente em 1990, sob a alegação que seu contrato incluía uma cláusula que o demitiria se ele continuasse se drogando. Depois de sair do Guns, Steven processou seus ex-colegas, passou por algumas rehabs, sofreu um derrame (1996) e até lançou um livro. Desde de meados dos anos 90 ele divide boa parte de seu tempo em duas atividades:

      1. implorar por uma reunião da formação clássica da banda.
      2. criticar, alfinetar e elogiar Axl Rose (agora ele faz isso em escalas bem menores)

      No que diz respeito à música, o batera investiu seu talento em projetos de menor repercussão. Em 2003, ele montou a Adler’s Appetite, banda que faz covers do Guns e toca algumas músicas autorais. Entre idas e vindas, o grupo lançou dois EPs, além de alguns singles avulsos. Oficialmente, a banda está em atividade.

      Em alguns momentos da Not in This Lifetime Tour, Steven subiu ao palco e fez um som com Axl, Slash, Duff e demais integrantes da atual encarnação do Guns.

      Izzy Stradlin - guitarra base, backing vocals

      Ativo: março de 1985 – novembro de 1991.

      Instrumentos ocasionais: guitarra solo, violão, percussão, vocais e cítara.

      Contribuições de lançamento: Live ?!*@ Like a Suicide (1986), Appetite for Destruction (1987) e Use Your Illusion II (1991), além de algumas faixas do Live Era ’87–’93 (1999).

      Por onde anda: o último show de Izzy Stradlin como integrante oficial o Guns foi em 31 de agosto no Estádio de Wembley, na Inglaterra. No ano seguinte, o músico formou a banda Izzy Stradlin and the Ju Ju Hounds, que consistia em Stradlin (voz/guitarra base), Rick Richards (guitarra solo), Jimmy Ashhurst (baixo) e Charlie Quintana (bateria).

      Em 1993 após o seu substituto no GunsGilby Clarke, ter se machucado em um acidente de moto, o que o impediu de tocar, Izzy Stradlin fez cinco shows. Em 2002 chegou a participar dos primórdios do Velvet Reovelver, o supergrupo capitaneado pelos ex-gunners Slash, Duff e Matt Sorum, além do saudoso Scott Weiland, ex-vocalista do Stone Temple Pilots.

      Izzy também se reuniu com as outras formações do Guns N’ Roses em 2006 e 2012. No ano de 2016, por uma série de motivos – incluindo questões contratuais – não quis participar da Not in This Lifetime Tour, a turnê que trouxe Slash e Duff de volta ao Guns. Atualmente, segundo a lenda vigente,os gigantes do hard rock preparam a volta definitiva do filho pródigo.

      Com uma carreira solo bastante produtiva, Izzy Stradlin já lançou 11 discos. Longe de holofotes e de badalações, ele toca a vida quase que de forma reclusa e dificilmente é visto em público ou no admirável mundo digital (parece que ele odeia redes sociais, simples assim).

      A turma dos anos 90

      A década de 1990 foi o período mais turbulento da banda. Pouco a pouco, os membros originais foram seguindo seus rumos. Sozinho no na nave, Axl Rose contratou e demitiu uma pá de gente.

      Matt Sorum - bateria e backing vocals

      Ativo: julho de 1990 – junho de 1997.

      Instrumentos ocasionais: percussão.

      Contribuições de lançamento: Use Your Illusion I (1991), Use Your Illusion II (1991), Sympathy for the Devil (1994) e algumas canções do Live Era ’87–’93 (1999).

      Por onde anda: a data do último show de Matt como membro do Guns N’ Roses é imprecisa. Sabe-se que antes mesmo de ser demitido por Axl, o batera participou ativamente do disco It’s Five O’Clock Somewhere, trabalho de estreia do supergrupo Slash’s Snakepit – projeto que o guitarrista Slash montou pouco antes de sair do Guns -, lançado em 1994.

      Kings of Chaos é um supergrupo de hard rock

      Em uma de suas formações, o Kings of Chaos contou com dois ex-membros do Guns (Foto/Internet)

      Desde que saiu do Guns, Matt trabalhou com várias bandas e participou de incontáveis projetos. Bastante ativo, gravou discos e fez um som com as bandas Neurotic Outsiders, The Cult, Velvet Revolver, Atif Aslam, Glenn Hughes, Sammy Hagar Buddy Rich Big Band. Desde 2012 faz parte do Kings of Chaos, supergrupo que reúne astros do hard rock para turnês e shows ocasionais. Além disso tudo, mantém uma prolífica carreira solo.

      Crítico feroz da Not in This Lifetime Tour, Matt Sorum alega ter declinado um convite para participar da lendária reunião de ⅗ da formação clássica do Guns.

      Gilby Clarke – guitarra base

      Ativo: novembro de 1991 – junho de 1994.

      Instrumentos ocasionais: backing vocals e pandeiro.

      Contribuições de lançamento: The Spaghetti Incident? (1993) e algumas canções do Live Era ’87–’93 (1999).

      Por onde anda: o contrato de Gilby Clarke com o Guns N’ Roses acabou em 1995. O último show dele como membro da banda, no entanto, foi no dia 17 de julho de 1993, no Estádio do River Plate, na Argentina.

      Assim como Matt Sorum, Clarke participou ativamente dos processos de composição e gravação do disco It’s Five O’Clock Somewhere. Já em sua carreira solo, o músico lançou sete discos. Ah, ele também fez parte de algumas encarnações doKings of Chaos.

      Gilby também tocou e gravou com Coronel Parker e Nancy Sinatra. Seu projeto mais ousado, no entanto, foi o reality show Rock Star Supernova, que buscou um vocalista para o supergrupo de mesmo nome. Além de Clarke, a banda contava com Tommy Lee (Mötley Crüe) e Jason Newsted (Voivod e ex- Metallica).

      Josh Freese – bateria

      Ativo: março de 1998 – agosto de 1999.

      Contribuições de lançamento: Oh My God (1999) e Chinese Democracy (2008).

      Por onde anda: Josh é um dos bateristas mais versáteis e requisitados para gravações e turnês. Depois de sua rápida passagem pelo Guns, o músico continuou trilhando seu bem sucedido caminho. Entre outras feras, ele já tocou com Avril Lavigne, Kelly Clarkson, Offspring, Sting e vários outros. Atualmente, Freese é membro permanente da icônica banda DEVO.

       

      Nota da redação: infelizmente, Josh Freese tocou com o Guns na época em que Axl era recluso. Portanto, não teve oportunidades para fazer parte de turnês lendárias.

      Paul Tobias – guitarra base

      Ativo: outubro de 1994– julho de 2002.

      Instrumentos ocasionais: guitarra solo, guitarra acústica, piano, backing vocals.

      Contribuições de lançamento: Sympathy for the Devil (1994), Oh My God (1999) e algumas faixas do disco Chinese Democracy (2008).

      Por onde anda: uma amizade de longa data com Axl Rose carimbou o passaporte de Paul Tobias rumo ao elenco de músicos do Guns N’ Roses. A bem da verdade é que, de fato, a presença de Tobias nunca foi entendida e nem mesmo admirada.

      Paul Tobias e Axl Rose, amigos de longa data

      Paul Tobias e Axl Rose, durante o Rock in Rio III (Foto/Internet)

      O último show do Guns com Tobias na formação foi em dezembro de 2001. Depois que saiu da banda, em razão de sua aversão à turnês, ele praticamente voltou à condição de coadjuvante de luxo. Pouco produziu e seu trabalho mais recente foi uma participação na obra Eclectic Cinema, um desconhecido disco de trilhas.

      Guns do ano 2000

      Com a chegada do novo milênio, a banda continuou sua intensa troca de membros. Cercados por shows esporádicos e um disco interminável, os músicos simplesmente foram abandonando o barco e sendo substituídos.

      Buckethead - guitarra solo

      Ativo: março de 2000 – março de 2004.

      Instrumentos ocasionais: guitarra base e violão.

      Contribuições de lançamento: Chinese Democracy (2008).

      Por onde anda: duas versões explicam a saída de Buckethead. De um lado, Axl alega que o músico “aparentemente deixou a banda no início de 2004, sem contar a ninguém, e voltou de maneira semelhante”. Do outro lado da história, o empresário do guitarrista afirma que seu cliente tirou o time de campo porque “o Guns N ‘Roses é uma banda incapaz de completar um álbum ou turnê”.

      Buckethead, guitarrista que tocou no Guns N' Roses

      Buckethead: o guitarrista que já gravou mais de 300 discos (Foto/Internet)

      Depois que saiu da banda, Buckethead lançou mais de 250 álbuns [sim, você leu o número certo] e participou de um incontável número de projetos musicais.

      Robin Finck - guitarra solo

      Ativo: maio de 1997– agosto de 1999; outubro de 2000 – abril de 2008.

      Instrumentos ocasionais: guitarra base, violão, teclados e backing vocals.

      Contribuições de lançamento: Chinese Democracy (2008).

      Por onde anda: vindo do Nine Inch Nails, Robin Finck foi parar no Guns por sugestão do então baterista Matt Sorum. O contrato do guitarrista durou dois anos e, como todos sabem, não foi tempo suficiente para concluir as gravações do disco Chinese Democracy. Ao fim do contrato, voltou para a banda de Trent Reznor, e embarcou na turnê do álbum The Fragile.

      No ano 2000, Finck voltou ao Guns N’ Roses e participou de momentos emblemáticos, como o Rock In Rio III [como esquecer do carinha que cantou Sossego, hit do saudoso Tim Maia?] e lançamento de Chinese Democracy. Em 2008, ele saiu da banda e foi viver mais uma fase “ioio” como integrante do Nine Inch Nails, ou seja, o guitarrista mergulhou numa série de idas e vindas. Nesse meio tempo, Robin Finck chegou a tocar em várias trilha de cinema e ainda gravou com Cee-Lo Green.

      Bryan Mantia – bateria

      Ativo: outubro de 2000 – junho de 2006.

      Contribuições de lançamento: Chinese Democracy (2008).

      Por onde anda: no dia 21 de junho de 2006, o batera foi oficialmente desligado do Guns. A saída rolou porque o músico queria passar passar mais tempo com sua família.

      Depois que saiu da banda de Axl Roses, Mantia tocou e gravou com Serj Tankian, Buckethead, Tom Waits, Travis Dickerson, entre outros.

      Bryan Mantia, baterista

      O escolado batera “Bryan Mantia prestou serviços ao Guns (Foto/Internet)

      O baterista também fez parte do projeto Brain and Melissa, duo que trazia a hoje tecladista do Guns, Melissa Reese, em sua formação. A dupla produziu várias trilhas para videogames e filmes.

      Ron “Bumblefoot” Thal - guitarra solo

      Ativo: maio de 2006 – junho de 2014.

      Instrumentos ocasionais: guitarra base, violão e backing vocals.

      Contribuições de lançamento: Chinese Democracy (2008).

      Por onde anda: após uma amigável saída da banda, Ron continuou bastante relevante. Mantém um interessantíssimo trabalho em dois supergrupos: Art of Anarchy e Sons of Apollo. Em janeiro de 2019, Ron “Bumblefoot” Thal foi anunciado como membro da lendária banda Asia.

      Excluídos do Guns da nova era

      DJ Ashba - guitarra solo

      Ativo: Março de 2009–Julho de 2015.

      Instrumentos ocasionais: guitarra base e bateria.

      Contribuições de lançamento: nenhum.

      Por onde anda: depois de sair do Guns, DJ passou a dedicar 100% de sua atenção à banda Sixx:A.M. Atualmente, o grupo está dando um tempo.

      Sixx:A.M., power trio de hard rock

      Sixx:A.M. é a banda titular de DJ Ashba (Foto/Internet)

      O guitarrista recusou o convite para fazer parte da Not in This Lifetime Tour. “Com Slash de volta, não há motivos para eu estar no Guns”, disse ele.

      Chris Pitman - teclados e backing vocals

      Ativo: maio de 1998 – abril de 2016.

      Instrumentos ocasionais: baixo, pandeirola, sintetizadores, programação, guitarra de 12 cordas, mellotron e samples.

      Contribuições de lançamento: Oh My God (1999) e Chinese Democracy (2008).

      Por onde anda: com a reformulação do Guns, em 2016, Chris Pitman perdeu sua vaga pra Melissa Reese. A princípio, o tecladista detonou a Not in This Lifetime Tour e até processou Axl. Posteriormente, ele se desculpou com banda e fãs e fez um acordo para resolver a questão trabalhista.

      Chris Pitman, músico e ex-tecladista do Guns N' Roses

      Chris Pitman é persona non grata no Guns (Foto/Internet)

      No que diz respeito à música, aparentemente, Pitman está envolvido em workshops e projetos de engenharia de áudio. Não há notícias de que ele faça parte de alguma banda.

      Tommy Stinson - baixo e backing vocals

      Ativo: março de 1998 – abril de 2016.

      Contribuições de lançamento: Oh My God (1999) e Chinese Democracy (2008).

      Por onde anda: com a volta de Duff ao posto, em 2016, Tommy Stinson decidiu ressuscitar a banda de rock alternativo Bash & Pop. Trata-se de um projeto que durou de 1992 a 1994 e traz Tommy como guitarrista e vocalista. Em 2017, Bash & Pop lançou o disco Anything Could Happen (2017) e saiu em turnê. Atualmente, o quarteto prepara o seu terceiro álbum.

      Not in This Lifetime?!

      Certa vez, Axl Rose disse que não tocaria com Slash novamente… “Não nesta vida”, do inglês Not in This Lifetime. O tempo passou e os caras, felizmente, voltaram às boas e estão trabalhando juntos novamente.

      É sabido que o Guns está preparando um disco novo ;) Será que algum ex-membro citado acima se envolverá no projeto?! Conta pra gente quem você gostaria de ver trabalhando com a banda novamente, amigo leitor?