Notificações Amigos pendentes

      Cifra Club News

      Mudanças de temperatura? Saiba como proteger o seu violão do frio

      9 de julho de 2019 11:07 Por Gustavo Morais

      Com a chegada do frio, você certamente percebeu que a mudança brusca de temperatura pode afetar os instrumentos musicais. Entre outras alterações, pode rolar desafinação e até mesmo desregulagrem.

      Com alguns cuidados é possível tocar violão sob o clima frio

      Nem mesmo o frio pode parar um músico (Foto/Pexels)

      Neste texto, você vai conhecer a relação que há entre as variações climáticas e os instrumentos de corda. Além disso, vamos te dar alguns macetes de como afinar e cuidar do seu violão durante esses dias frios. Ao terminar o nosso papo, não haverá mais a desculpa de não estudar ou esaiar por causa do inverno, hein =P

      Vamos nessa?

      A física explica

      As mudanças bruscas de temperatura, seja frio ou calor, proporcionam alterações nos instrumentos musicais. Não é magia, nem obra do acaso e menos ainda azar. É uma questão de ciência.

      Antes de entrarmos de vez no assunto, precisamos recordar um pouco das aulas de física. Você se lembra, ou já ouviu falar, do coeficiente de dilatação térmica dos materiais? Dê uma olhadinha na fórmula abaixo:

      Fórmula para calcular o coeficiente de dilatação térmica

      Fórmula explica a influência da temperatura nos instrumentos (Imagem/Internet)

      Esse “mistério acima” pode até assustar, mas a situação é bem menos medonha do que parece. Na real, precisamos entender que todos os corpos existentes na natureza [sólidos, líquidos ou gasosos] quando expostos às situações de aquecimento ou resfriamento, ficam sujeitos aos processos de dilatação ou contração térmica.

      O clima frio altera as estruturas do violão

      O clima frio faz a madeira do violão retrair (Foto/Pexels)

      Esses processos ocorrem em virtude do aumento ou diminuição do grau de agitação das moléculas que constituem os corpos. A dilatação  pode ocorrer de três formas:

      • linear: ocorre variação no comprimento do corpo (exemplo: barra de alumínio)
      • superficial: provoca variação na área superficial do corpo (exemplo: chapa de ferro)
      • volumétrica: apresenta variação no volume do corpo (exemplo: água)

      A contração ocorre quando as distâncias entre as moléculas são diminuídas. Nesta situação, os corpos são resfriados e há diminuição nas dimensões do corpo.

      As mudanças de temperatura e o instrumento musical

      Em sua fisiologia, o instrumento musical de cordas possui dois tipos de componentes: metálicos (parte eletrônica e as cordas) e orgânicos – naturalmente vindos de “matéria orgânica morta” -, ou seja, a madeira. Com isso, temos coeficientes de dilatação térmica diferentes de aumento ou diminuição dos componentes do instrumento atrelados às temperaturas alta ou baixa do ambiente. Na prática, isso significa que:

      • no calor, a madeira resseca e expande
      • no frio, a madeira fica úmida e retrai

      Quando expostos às temperaturas mais baixas, o tensor do instrumento pode apresentar um encurtamento no comprimento e, consequentemente, provocar desequilíbrio da madeira do braço. Os resultados podem ser trastejamento e oscilações na afinação. Já a expansão provocada pela exposição ao calor altera o comprimento das cordas, por dilatação, e também altera a afinação.

      No frio, o violão precisa de cuidados

      Tocar violão no inverno requer alguns cuidados básicos (Foto/Internet)

      Como contêm muita madeira em sua constituição, os instrumentos acústicos são os mais afetados pelas quedas bruscas de temperatura. Dentro desta classe, pode-se destacar desde os de corda, como violão, violino e piano; os de sopro, como flauta, saxofone e gaita; e os de percussão, como a bateria. O tempo de uso também deve ser levado em consideração, pois indica que o instrumento já enfrentou muitas variações de temperatura, o que certamente causa reflexos na qualidade do som.

      Afinando o violão em temperaturas baixas

      Quando for afinar o seu violão em temperaturas mais frias, segundo blog da Michael, o ideal “é dar a primeira volta da corda por cima da tarraxa e as outras por baixo, enquanto laceia”. O lado ruim deste procedimento é que se uma das cordas quebrar, o processo de substituição será mais trabalhoso.

      Afinar o violão em temperaturas baixas requer alguns procedimentos básicos

      O ideal é estabilizar a temperatura da madeira antes de afinar o violão durante um dia frio (Foto/Pexels)

      Se as cordas foram novas e de nylon, você pode puxar a corda para cima, com dedo o indicador, e ao mesmo tempo pressioná-la para baixo, com o dedão. Faça isso de corda em corda, em vários pontos do encordoamento para que tensão fique ajustada. Esse procedimento não resolve todos os problemas, mas é bem eficiente.

      Quando você for tocar em um estúdio ou num local mais frio, que tenha ar condicionado, deixe o instrumento se acostumar com a temperatura para depois cuidar da afinação. Se afinar fora do local e entrar para fazer o som, a chance de desafinação é certeira. Para agilizar os processos de estabilização e equilíbrio da temperatura, o ideal é deslizar a mão sobre o violão.

      Importantíssimo: tenha um afinador sempre em mãos! Se o clima tiver muito frio, você checar a afinação mais vezes.

      Como proteger meu violão do frio ou do calor?

      Em primeiro lugar, não se esqueça de as variações de temperatura podem alterar a regulagem do instrumento do músico experiente e também do iniciante. Pequenas observações e o cuidado constante, no entanto, são fatores determinantes para manter a integridade dos instrumentos e tirar deles as mais belas canções possíveis.

      Instrumentos de corda não podem ficar guardados em pé

      Evite deixar seus instrumentos sujeitos às mudanças de temperatura (Foto/Internet)

      Evite deixar o instrumento em ambientes que sofram variações de temperatura. Fique atento ao ar condicionado, ou seja, convença os caras da banda a não fazerem do estúdio uma simulação do Alasca. Mantenha seu violão longe de aquecedores, janelas, fogões e até mesmo da própria parede.

      Guarde seu instrumento em cases, estojos ou capas. Além de proteção contra possíveis choques com outros objetos e da ação da poeiras, esse cuidado ajuda a conservar a temperatura, caso o ar do ambiente esteja muito frio ou quente.

      Guarde o seu instrumento sempre no case ou na capa

      Após o uso, guarde o seu violão no case ou na capa protetora (Foto/Internet)

      Ah, e não esquece: para que um instrumento “segure” melhor uma afinação, precisamos também considerar: o nível de qualidade das tarraxas, as condições de uso das cordas, regulagem perfeita e, principalmente, a forma como este instrumento é tocado. Nem tudo toda desafinação é “culpa” da variação de temperatura.

      Para finalizar esse nosso papo, não deixe de conferir um vídeo com algumas dicas de como guardar seu violão ou guitarra. É só dar o play e se ligar no papo reto do Gustavo Fofão ;)