Notificações Amigos pendentes

      Cifra Club News

      Top 5 Slash: confira as melhores colaborações dele fora do Guns

      25 de julho de 2019 11:11 Por Gustavo Morais

      Dono de uma carreira admirável, o músico Slash é conhecido pelos trabalhos como guitarrista principal no Guns N’ Roses e na extinta banda Velvet Revolver. Além disso, ele também é muito bem sucedido em seu voo solo.

      É inegável, no entanto, que os trabalhos junto à banda liderada por Axl Rose estão entre os mais memoráveis da vitoriosa trajetória do roqueiro da cartola.

      Michael Jackson e Slash, durante apresentação ao vivo em uma premiação

      Michael Jackson e Slash fizeram parcerias musicais inesquecíveis (Foto/Internet)

      Mas e os feats que ele já fez com outras feras da música? Não contam? É claro que sim! E é por isso que no texto de hoje, a gente vai lembrar as 5 melhores colaborações musicais que Slash fez fora do Guns.

      Ficou curioso sobre esse assunto? Então, continue por aqui! Vamos falar sobre as seguintes músicas:

      • Here’s to Us, com a banda Halestorm
      • Lock ‘N’ Load, com o supergrupo The Dead Daisies
      • I Ain’t No Nice Guy, com Motörhead e Ozzy Obsbourne
      • Always on the Run, com Lenny Kravitz
      • Give in to Me, com Michael Jackson

      Top 5: Melhores trabalhos do Slash com outros artistas

      Foi difícil, mas escolhemos nossas 7 colaborações preferidas do guitar hero da cartola! O que não falta nesta lista é solos e riffs arrebatadores pra você se inspirar, hein? Bend up!

      5. Here’s to Us, com a banda Halestorm

      Na estrada desde 1997, a banda de hard rock Halerstorm lançou seu segundo trabalho em 2012. Batizado The Strange Case Of, o álbum foi bem recebido foi sucesso entre público e crítica especializada. Além do prestígio mercadológico, o disco mostrou que o quarteto liderado por Lzzy Hale estava bem na fita com roqueiros da velha guarda!

      Entre outros figurões, a obra contou com participação do arranjador Jamie Muhoberac, um cara que coleciona trabalhos com Fletwood Mac, Stones, entre outros; do baixista Wolfgang Van Halen, membro do Van Halen desde 2007; e do guitarrista Phil X, ex-Triumph e atual Bon Jovi. Quem também colaborou foi Slash, que na baladinha Here’s to Us mostrou o lado econômico e radiofônico de suas habilidades com a lead guitar. Infelizmente, o guitarrista não aparece no clipe oficial. Por tanto, precisamos apenas dar o play e sentir a presença dele no rolê!

      4. Lock ‘N’ Load, com o coletivo musical The Dead Daisies

      O coletivo musical e supergrupo The Dead Daisies surgiu em 2013, na Austrália, sob a liderança dos músicos Jon Stevens (voz/guitarra) e David Lowy (guitarra). Stevens vinha de frustrante participação na banda INXS e Lowy é um conhecido figurão da high society australiana. O bonde também contou com o inglês Kevin Savigar, o eterno produtor e tecladista da banda de Rod Stewart.

      Logo em seu homônimo disco de estreia, lançado em 2013, a banda contou com o help de Slash, que atuou como compositor e guitarrista na faixa Lock ‘N’ Load. Com pegada de música soul e ecos do gospel americano, a canção é bem diferente de tudo que o músico é acostumado a fazer. Mais uma vez, o cara não dá o ar da graça no videoclipe oficial.

      3. I Ain’t No Nice Guy, com Motörhead e Ozzy Obsbourne

      Nos idos de 1992, a frieza dos números indicavam o Guns era a maior banda de rock do mundo. Os caras vendiam discos adoidado, lotavam estádios ao redor do mundo [ok, eles nunca deixaram de fazer isso], bombavam na MTV e estampavam as capas das melhores revistas de música.

      Para coroar essa grande fase, Slash teve um tempinho para gravar o solo da música I Ain’t No Nice Guy, do disco March ör Die, do Motörhead, o power trio mais gigante do metal. Além do guitarrista e do saudoso Lemmy Kilmister, a canção contou com os vocais do não menos icônico Ozzy Osbourne. Uma trinca desta, bicho? Pensa na explosão? Com direito a aparição dos envolvidos no vídeo, o resultado pode ser conferido abaixo.

      2. Always on the Run, com Lenny Kravitz

      O multi-instrumentista americano Lenny Kravitz e Slash são amigos desde os tempos de colégio. Apesar do tempo que passaram distantes, a vida deu um jeito de promover o encontro entre os dois parças.

      O ano era 1991. Como membro do Guns N’ Roses, o guitarrista vivia seu apogeu. Por sua vez, naqueles tempos, Lenny lançou seu segundo disco de estúdio, o ótimo Mamma Said. A primeira música de trabalho da obra foi a arrasadora Always on the Run, um rockão assinado e solado por Slash.

      1. Give In To me, com Michael Jackson

      Michael Jackson deu asas ao seu lado rock and roll, nos anos 80, trabalhando com Eddie Van Halen e Steve Lukather, dois gênios da guitarra. Na década seguinte, O Rei do Pop convocou Slash e deu continuidade à experiência. Uma colaboração com um dos maiores artistas de todos os tempos, jamais poderia deixar de ser o trabalho mais importante do currículo do guitarrista fora do Guns.

      No ano de 1991, MJ lançou o cultuado Dangerous. Slash atuou nas canções Black or White [creditado apenas pela introdução matadora] e Give In To Me. O curioso é que a primeira data de 91 e a segunda chegou às rádios em 1993, ou seja, naqueles tempos, os meios de comunicação e as gravadoras divulgavam os álbuns com muito mais apuro e cuidado.

      Conheça mais sobre o Slash

      Nascido em 23 de julho de 1965, nosso herói Slashse chama, na verdade, Saul Hudson. O músico nasceu em Hampstead, uma área nobre de Londres, Inglaterra, e se mudou para Los Angeles quando tinha cinco anos. Com arte no DNA, ele é filho de Ola Oliver, uma figurinista afro-americana, e Anthony Hudson, um pintor e desenhista inglês.

      Mosaico de fotos do guitarrista Slash quando era criança

      As várias faces do menino Saul, que sempre foi Slash (Foto/Internet)

      Durante a adolescência, o cara despertou para a música. Naqueles tempos, um então baixista Slash e seu amigo Steven Adler, sim, o ex-batera do Guns, formaram um grupo. Porém, quando começou a estudar música e ouviu seu professor tocar guitarra pela primeira vez, ele decidiu que seria guitarrista.

      Sua primeira banda séria foi a Tidus Sloan, em 1981, ao lado de colegas de escola. Eles não tinham vocalista e se apresentavam em pequenos eventos, sempre fazendo versões instrumentais de clássicos do rock. Ainda no começo dos anos 80 Slash fez teste para entrar no Kiss e no Poison. Como era jovem demais, foi dispensado por Paul Stanley e Gene Simmons. Já a vaga no quarteto liderado pelo galã Bret Michaels não rolou por um pequeno detalhe: o futuro herói da guitarra não era bonito o suficiente. Posteriormente formou outras bandas, incluindo a Road Crew.

      O visual glam era usado pelo jovem Slash

      Será que a turma do Poison se arrepende por ter dispensado esse rostinho? (Foto/Internet)

      Em meados de 1985, o destino fez com Slash fosse parar no Guns N’ Roses. Com seus “companheiros de crime”, o guitarrista viveu e continua vivendo o sonho dourado do rock. Ao longo de todos esses anos, o guitarrista saiu da banda e empreendeu vários outros projetos. Porém, esse papo fica para uma próxima conversa.

      A origem do apelido Slash

      O apelido Slash foi dado pelo ator Seymour Cassel, pai de um dos melhores amigos que Saul tem até os dias de hoje. Em conversa com o site Brave World, o artista revelou que apelido surgiu de forma inusitada. “Eu costumava frequentar a casa daquela família e Seymour sempre me chamava de ‘Slash’. Basicamente, ele diz que era porque eu sempre estava com pressa e esquematizando alguma coisa nova”, disse.

      Em entrevista recente ao programa de rádio de Steve Jones, o guitarrista revelou ter se encontrado com o Seymour e não pode deixar de fazer a pergunta que não quer calar: “De onde você tirou isso [o apelido]?”. Ele respondeu “Ah, porque você nunca parava para conversar com ninguém, você nunca tinha tempo, estava sempre esbarrando nas pessoas e tal”.

      Slash, o guitarrista da cartola toca no Guns N' Roses

      Slash está em paz com a vida, com o apelido e com a carreira (Foto/Internet)

      Portanto, o apelido surgiu a partir da inquietação do músico. Ele era uma criança que fazia várias coisas ao mesmo tempo, sem parar muito para pensar. Nada a ver com facas, cobras ou qualquer tipo de coisa do gênero. O apelido pegou de tal forma que todos o chamarão de Slash para sempre.

      Desafio: toque um grande solo de Slash

      E agora que você chegou até aqui, amigo leitor, te desafio a tocar um dos solos mais bacanas que o Slash já fez na vida. Não é nada do Guns e nem do Velvet! Trata-se de uma das canções mais tops do trabalho solo dele. Se liga só na videoaula que o Vinícius Dias preparou pra você:

      Ah, e quando tiver um tempinho, chega mais e me conta se curte as colaborações do Slash com outros artistas ;)