Notificações Amigos pendentes

      Cifra Club News

      Especial Queen: ouça a voz isolada de Freddie Mercury em 6 músicas

      5 de setembro de 2019 10:57 Por Gustavo Morais

      No dia 5 de setembro de 1946, em Zanzibar, Tanzânia, nasceu Farrokh Bulsara, que mais tarde mudou seu nome para Freddie Mercury, a voz do Queen. Portanto, hoje, Mercury completaria 73 anos de idade. Se estivesse vivo, sem sombra de dúvidas, ele ainda estaria cantando com muita categoria.

      Queen posa para divulgar o single Bohemian Rhapsody

      Queen, uma banda que mudou a história do rock (Imagem/Facebook)

      E por falar em “Freddie Mercury”, “aniversário”, “voz”, “Queen”, “cantando”… Que tal celebrar o níver do mestre em grande estilo? A minha sugestão é ouvir alguns vocais isolados dele. Além de apreciar esse talento tão raro, a gente ainda vai ter verdadeiras aulas de música.

      Curtiu a ideia? Então, fique ligado, pois, neste texto você ouvirá as músicas abaixo:

      • Somebody To Love
      • Bohemian Rhapsody
      • Don’t Stop Me Now
      • I Want to Break Free
      • Love Of My Life
      • We Are The Champions

      Prepare seus fones de ouvido aí e deixe que a voz de Mercury te arrebate para outra dimensão astral.

      Por que a voz de Freddie Mercury era inigualável?

      De acordo com estudos recente, Freddie Mercury está entre os vocalistas com maior alcance de notas. A seguir, te apresento quatro verdades científicas acerca da voz do nosso saudoso barítono.

      1. O registro mais baixo da voz de Freddie foi uma nota F (Fá) na escala 2, na música All Dead All Dead. Já o alcance mais alto dele, um louvável E (MI) na escala 6, ele registrou na canção It’s Late;
      2. A voz cantada de Mercury conseguia um alcançar 37 semitons dentro do intervalo de tom de F#2 (cerca de 92.2 Hz) para G5 (cerca de 78.4 Hz);
      3. Segundo uma análise de 240 notas sustentadas em 21 registros a cappella, a taxa de modulação de frequência fundamental (vibrato) de Freddie atingia a média [surpreendentemente alta] de 7.o4 Hz.;
      4. As pregas vocais de Mercury se moviam mais rápido do que as de outras pessoas.

      Com essas provas científicas, você conseguiu compreender o ponto de vista teórico em torno da qualidade vocal ímpar no antológico vocalista do Queen, correto? A seguir, você vai ouvir na prática e tirar suas próprias conclusões.

      Freddie Mercury gravando os vocais no disco do Queen

      Freddie Mercury tinha uma voz inigualável (Foto/Facebook)

      A voz de Freddie Mercury isolada

      Graças aos recursos tecnológicos, vivemos na época em que é fácil ter acesso a registros da voz de Freddie isolada dos outros instrumentos. Nos próximos vídeos, seus ouvidos serão massageados pelos vocais mais emblemáticos da música moderna.

      1. Somebody to Love

      Eis o maior hit do quinto disco do Queen, A Day At The Races, lançado em 1976. Escrita por Freddie Mercury, essa canção tem fortes raízes na música gospel, sobretudo nos trabalhos da diva Aretha Franklin. Mercury, May e Taylor gravaram vários canais de suas vozes para criar um coro gospel de 100 vozes.

      2. Bohemian Rhapsody

      A quarta faixa, do lado B, do quarto disco do Queen, o clássico A Night at The Opera, de 1975, é uma das obras mais grandiosas da história do rock. Nela, Freddie Mercury, Roger Taylor e Brian May cantam nas tessituras média, aguda e grave, respectivamente.

      3. Don’t Stop Me Now

      Considerada a música mais feliz do mundo, Don’t Stop Me Now faz parte do álbum Jazz, trabalho lançado em 1978. Com sua voz que movia montanhas, Mercury deu uma interpretação impecável para essa letra eufórica, poética e cheia de metáforas.

      4. I Want to Break Free

      Escrita pelo baixista John Deacon, I Want to Break Free é uma canção sobre timidez. Conhecida por ter um clipe bem irreverente, essa música faz parte do disco The Works, o 11º trabalho do Queen, lançado em 1984.

      5. Love of My Life

      Seria exagero afirmar que essa é uma das mais belas canções de amor da história? Creio que não, hein?! Imortalizada no álbum A Night at The Opera, Love of My Life foi escrita por Freddie em homenagem a Mary Austin, com quem teve um longo relacionamento no início dos anos 70 e que manteve uma forte amizade até a sua morte, em 1991.

      6. We Are The Champions

      Que We Are The Champions é um dos grandes clássicos do rock, todo mundo sabe. Apesar dos pesares, pouca gente se lembra de que a ciência afirma que essa é a música mais “cativante” e “grudenta” de todos os tempos. Esse hino da vitória foi lançado no disco News of the World, datado de 1977.

      Espero que você tenha curtido essa experiência sensorial que é ouvir a voz isolada de Freddie Mercury! E agora, que tal me contar qual é o registro vocal dele que você mais curte? Ah, e não se esqueça de compartilhar o link deste texto aí nas suas redes sociais ;) Juntos, conseguimos preservar a memória do Freddie com muito mais força.