Notificações Amigos pendentes

      Cifra Club News

      Violão para iniciantes: 3 grandes desafios que você precisa vencer

      16 de outubro de 2019 11:41 Por Gustavo Morais
      Rapaz e moça tocam violão

      O iniciante no violão precisa lidar com certos desafios (Foto/Pexels)

      A jornada do iniciante no violão é convidativa, rica e interminável. Largar o instrumento quando surgem as primeiras dificuldades, no entanto [e infelizmente], é algo bem comum. Mas se você não desistir, tudo melhora. Além de sua vida ficar ainda mais plena, o mundo será um lugar mais bonito.

      Por essas e outras, o texto de hoje é sobre os desafios que você aí que está começando a tocar precisa vencer!

      Ficou curioso pra conferir esse rolê? Então, continue comigo! No final da conversa, você terá novas perspectivas para continuar com seus estudos diários. Se ajeite por aí, e bora lá :)

      1. Pensar fora da caixa

      No caso de quem começa a estudar música, um dos enredos mais comuns é:

      • A pessoa descobre um tipo de música favorito
      • A figura do ídolo começa a fazer parte do imaginário
      • A aptidão pra coisa é descoberta
      • O primeiro violão entra em cena
      • Começa o aprendizado

      Até aí, tudo dentro da normalidade. Concorda? Só que, naturalmente, todos nós temos a tendência de querer tocar somente as coisas que a gente gosta de ouvir. Se você gosta do pop rock do Charlie Brown Jr., por exemplo, dificilmente vai querer tirar a nova música do Gusttavo Lima.

      Mateus, da dupla Jorge e Mateus, toca guitarra stratocaster

      Mateus, da dupla com Jorge, gosta de rock and roll e toca sertanejo (Foto/Internet)

      Acontece, porém, que esse tipo de barreira musical não faz bem. Pensar fora da caixa é recomendável para todos os aspectos da vida. É importante desenvolver a sensibilidade de enxergar oportunidades que levam ao desenvolvimento. Se estiver disposto a aprender o que os outros tipos de música têm pra te ensinar, você se tornará um músico mais criativo, dinâmico e versátil.

      2. Como desenvolver memória motora?

      Uma palavrinha define: repetição. Você precisa refazer, por várias vezes, o fundamento que está estudando, até que consiga fazer os movimentos de forma automática. Sendo assim, não tenha preguiça de repetir os exercícios, as músicas, os acordes, as técnica, as batida, et e tal! Quando os movimentos estiverem automáticos, é sinal de que você desenvolveu a memória motora e já pode elevar o nível de dificuldade do conteúdo que vai treinar.

      3. Como pegar ritmo no violão?

      Antes de conferir as melhores dicas para pegar o ritmo no violão, você precisa relembrar/conhecer os dois principais requisitos para conseguir ter um bom desempenho no rolê:

      1. Noção/conhecimento sobre acordes: não tem jeito de fazer uma levada no violão sem saber ao menos um ou dois acordes. E já que o objetivo é pegar a batida de uma música, é importante que você já conheça e domine os acordes da música que deseja tirar
      2. Conhecimento prévio acerca da música: é preciso que você tenha se familiarizado com a música. É qual o melhor jeito de fazer isso? A resposta só pode ser uma: você precisa ter escutado a música muitas vezes. Só assim será possível identificar melhor o ritmo. Afinal de contas, a menos que você seja um adivinho, não tem como pegar o ritmo de uma música desconhecida, sobretudo quem é iniciante no violão.

      O treino com backing track: fundamento básico para pegar ritmo

      Agora que você já sabe quais são os dois primeiros passos da caminhada, chegou a hora de partir para os exercícios que te ajudarão a compreender qual é o ritmo que se encaixa na música que você quer tocar.

      Jovem toca violão

      À procura da batida perfeita (Foto/Pexels)

      “Não se começa uma casa pelo teto”, conforme diz a sabedoria popular. Por isso, antes de treinar com músicas, é recomendável que o estudante iniciante comece pelo básico. Para isso, você pode pegar uma backing track apenas com bateria e baixo e fazer treinos simples. Com essas práticas, certamente você conseguirá tirar seu primeiro ritmo de ouvido e desenvolver uma batida ideal.

      Esse exercício, inclusive, te ajudará a desenvolver a técnica necessária para conseguir entender, diferenciar e aplicar os ritmos no violão. No final das contas, você compreenderá como usar os movimentos para cima e para baixo com a mão direita, entre outras coisas.

      Depois que você já tiver dominado esse fundamento, comece a treinar uma música completa.

      Toque junto com a música original

      E agora que rolou afinidade com a backing track, chegou a hora de elevar o grau do treino. Nesse primeiro momento, você deve colocar a música original para tocar e tentar identificar o que o violão faz nela. Se houver outros instrumentos, procure usá-los para fazer essa identificação das partes que lhe interessam.

      Não tem truque: você só precisa tentar reproduzir o ritmo que ouvir. Um dos jeitos mais fáceis para se familiarizar com a batida, como você já deve imaginar ;) , é reproduzi-la com a boca. Para isso, use a onomatopeia de sua preferência e cantarole essa batida. O meu amigo Vinícius Dias, por exemplo, inventou um jeito bem bacana para fazer esse tipo de assimilação:

      Ah, uma dica importantíssima: mesmo depois que identificar a batida, comece treinando devagar para conseguir reproduzi-la adequadamente. Com o estudo da música é sempre assim: você começa devagar e, conforme for adquirindo domínio, vai acelerando. Para esse tipo de treino envolvendo a questão da velocidade e do tempo, nada melhor do que usar o metrônomo.

      3. Tentar tocar, mas a mão não obedece

      Esta situação acontece porque você ainda não desenvolveu o fundamento memória motora, que nada mais é do que o ato do cérebro gravar um movimento a ponto de fazê-lo sem precisar ficar pensando.

      Uma pessoa que tem uma memória motora para algo, pode executar aquela ação e ao mesmo tempo fazer outras coisas. Um bom exemplo é Bob Dylan, um cara que toca violão e gaita ao mesmo tempo.

      Bob Dylan toca violão e gaita ao mesmo tempo

      Bob Dylan tem a memória motora desenvolvida desde que era um iniciante (Foto/Internet)

      O bom músico tem memórias motoras desenvolvidas para várias, pois conseguem executar diversos acordes, batidas, técnicas e músicas sem ficar pensando nos movimentos. Então, se você quer se desenvolver como violonista, saiba que também vai precisar aprimorar a sua memória motora.

      Motivação para não desistir de tocar

      E já que chegou até aqui, caro músico iniciante, que tal dar uma olhada em conteúdos que te ajudarão a manter a motivação de continuar com os estudos? Para afinar e equalizar ainda mais seus estudos, se liga só nos textos que quero te indicar:

      Eu só quero que você nunca desista, pois, o mundo fica muito errado sem música. E agora, é com você ;)