Notificações Amigos pendentes

      Cifra Club News

      Rapidíssimas: fim do Metallica? Filme do Lynyrd Skynyrd e muito mais

      7 de fevereiro de 2020 9:32 Por Gustavo Morais
      James Hetfield, do Metallica, durante exposição de carros customizados

      James Hetfield comenta sobre o 2020 do Metallica (Foto/Internet)

      Salve, salve, meu amigo e minha amiga! Como você já sabe, sexta-feira é dia da coluna Rapidíssimas, o boletim musical mais completo da internet. Já que no corre diário, a gente acaba perdendo uma informação ou outra, esta nossa conversa é um jeitinho para que os acontecimentos mais importantes do meio musical não escapem de seus olhos.

      No texto de hoje, você confere informações sobre o documentário acerca do acidente aéreo com a Lynyrd Skynyrd. Tem também recorte sobre as dúvidas de James Hetfield a respeito do futuro do Metallica. Será que eles vão dar um tempo na carreira?

      Bom, chega de papo! Se ajeite por aí e descubra os assuntos que andam bombando nos principais sites de cultura pop :)

      Indecisão no Metallica

      James Hetfield concedeu sua primeira entrevista desde que terminou sua rehab, iniciada em setembro de 2019, para tratar uma recaída no alcoolismo. A conversa rolou durante a abertura de uma exposição de carros personalizados por ele próprio. Quando questionado sobre o lançamento de um novo trabalho do Metallica, James revelou que não há planejamentos para o futuro da banda.

      Nesse momento, estou aqui no museu e não sei o que vai acontecer em seguida. É a beleza disso. Vamos nos sentar e ver o que funciona para nós. O que está para vir, não sabemos. Prosperamos com esse medo do desconhecido, estar um pouquinho assustados apenas o bastante para nos sentirmos vivos

      O disco mais recente do Metallica é o interessante Hardwired… To Self-Destruct, lançado em 2016. Antes da internação de Hetfield, o baixista Robert Trujillo declarou que a banda lançaria um álbum em 2020. Já que a palavra final sempre é da dupla Lars/James, a gente só pode fazer uma coisa: aguardar cenas dos próximos capítulos.

      Ozzy Osbourne abre o jogo sobre os membros do Black Sabbath

      Em conversa com o podcast Broken Records, apresentado pelo produtor Rick Rubin, Ozzy Osbourne revelou o que pensa sobre os outros membros da formação original do Black Sabbath. Com seu jeito peculiar, e sem lavar roupa suja fora de casa, Ozzy falou sobre como era o relacionamento dele com Tony Iommi, Geezer Butler e Bill Ward.

      Sobre o guitarrista, o madman revelou um respeito quase que subserviente. “Ele era a banda, realmente. Éramos todos parte d , mas ele era o mais insubstituível de todos nós”, disse. “As pessoas me perguntam: ‘Por que você sempre cantava ao lado do palco?’ É apenas medo, suponho. Porque Tony, ele é uma das poucas pessoas que poderiam entrar nesta sala agora e eu me sentiria fodidamente intimidado. Ele me intimida, e sabe disso.”

      Integrantes da formação do Black Sabbath, em 2012

      Ozzy Osbourne em meio aos outros membros originais do Black Sabbath (Foto/Divulgação)

      Ao falar a respeito do batera, Osbourne colocou um pouco de crítica no tom das palavras. “Bill era um grande baterista na época dele. A única coisa triste do álbum ’13′ foi Bill não ter tocado. Mas com ele em cena, ainda estaríamos gravando o disco. Ele leva muito tempo com tudo”, revelou. No que diz respeito ao baixista, o vocalista teceu elogios diretos e certeiros: “O Geezer é um ótimo músico e um incrível compositor. E como baixista, ninguém pode superá-lo”, sentenciou.

      Do alto de seus 71 anos, Ozzy Osbourne continua seu processo de retomada de atividades profissionais. Recentemente, ele lançou músicas de um novo disco e fez até aparições públicas. Todavia, Osbourne segue na luta contra o Parkinson.

      Filme sobre acidente do Lynyrd Skynyrd tem data de estreia

      No dia 20 de outubro de 1977, a banda Lynyrd Skynyrd sofreu um terrível acidente aéreo. Na ocasião, além de membros da tripulação, morreram o vocalista Ronnie Van Zant, o guitarrista Steve Gaines e a backing vocal Cassie Gaines – irmã de Steve.

      43 anos depois, a história será contada sob o ponto de vista de um dos sobreviventes da tragédia, o baterista Artmus Pyle, membro da formação original da banda. Pyle apresenta sua versão dos fatos por meio do filme Street Survivors: The True Story of the Lynyrd Skynyrd Plane Crash, documentário dirigido e roteirizado por Jared Cohn.

      Cartaz do filme Street Survivors: The True Story of the Lynyrd Skynyrd Plane Crash

      Cartaz de divulgação do filme sobre o acidente da banda Lynyrd Skynyrd (Foto/Divulgação)

      “Essa não é apenas uma história sobre o acidente de avião, mas também sobre meu relacionamento pessoal com o gênio que era Ronnie Van Zant – a quem eu amava como um irmão e ainda sinto falta até hoje”, diz o batera no material de divulgação do longa, no qual ele ainda contribui com uma canção original.

      Confira cifras e videoaulas do Lynyrd Skynyrd

      O filme vai estrear no dia 16 de fevereiro, no Festival de Filmes Independentes de Hollywood Reel, em Los Angeles. O lançamento nas plataformas on demand, DVD e blu-ray está agendado para o 30 de junho de 2020.

      Hayley Williams canta hit da Dua Lipa

      Nesta semana, Hayley Williams participou do programa Live Lounge, da BBC Radio 1. Como de praxe na atração, o convidado precisa cantar uma música de outro artista. Sem medo de ser feliz, Hayley escolheu Don’t Start Now, hit da Dua Lipa.

      A vocalista do Paramore também apresentou ao vivo música Simmer, primeiro single de seu álbum solo, Petals For Armor.

      Ativista cristão quer processar Super Bowl por show sexy

      O showzaço de Shakira e Jennifer Lopez no intervalo do Super Bowl, no último domingo (2), irritou bastante um homem chamado Dave Daubenmire, ativista cristão americano. Dave revelou que pretende processar a NFL por conta do conteúdo “cheio de sensualidade” das performances das pop stars.

      Ex-técnico escolar de futebol americano, Dave é bastante conhecido por sua postura conservadora e radical. Em seu Pass the Salt, ele acusou a organização da liga nacional que promove o evento de impedir sua “entrada no reino dos céus”. O ativista ainda alegou que o show foi um exemplo de “discriminação contra os cristãos”, pois “conflita com seus valores morais”. De quebra, ele informou que pretende pedir uma indenização trilhardária. “Quero processá-los em aproximadamente US$ 867 trilhões”, disse.

      Torcendo por boas novas acerca do Metallica e contando os dias para ver o filme do Lynyrd, vou ficando por aqui. Até uma próxima edição da Rapidíssimas, povo do bem ;)