Notificações Amigos pendentes

      Cifra Club News

      Teoria musical pra iniciantes: o que são harmonia, melodia e ritmo?

      28 de abril de 2020 13:16 Por Gustavo Morais

      Fazer um som, compor uma música e até mesmo tocar em uma banda são algumas das muitas aspirações de um músico iniciante. Muitas das vezes, no entanto, quem está começando a tocar pode cometer o erro de ignorar a parte teórica da coisa. Confie em mim: se fosse só tirar o violão da capa e sair tocando por aí, não teria tanta graça assim.

      Músico em home studio, tocando violão e com fones de ouvido

      A teoria musical deixa o músico mais preparado para os desafios da profissão (Foto/Pexels)

      Saber teoria musical é, no mínimo fundamental para que você realmente aprenda a tocar um instrumento. Nesta nossa conversa de hoje, o objetivo é te ajudar a enxergar os fundamentos teóricos com mais suavidade e clareza. Quando terminar a leitura, você terá uma referência que pode te ajudar a nortear um pouco os seus estudos.

      Atenção: ninguém se tornará um maestro depois de conferir este post, hein ;)

      De maneira clara e mais direta, este texto te deixa mais familiarizado com três fundamentos fundamentais para a construção de uma peça musical. Sim, meu amigo e minha amiga, estou falando de ritmo, harmonia e melodia!

      Bora lá ficar por dentro desse assunto?

      Qual é o conceito de ritmo?

      Com origem no termo grego rhythmos, o ritmo é o componente mais primitivo da música. Antes que um ser humano fosse capaz de tocar qualquer nota musical, tambores já eram tocados para anunciar guerra ou festejos.

      O ritmo é o fator organizacional que designa a sucessão regular dos tempos fortes e fracos em uma frase musical. Indica o valor das notas, de acordo com a intensidade e o tempo. Trata-se da combinação entre sons e silêncios que servem como alicerce para a construção da melodia.

      Para que serve o ritmo da música

      Como você identifica se uma determinada música é rock, pop, blues, reggae, country, etc? Simples: graças ao ritmo!

      Pense na seguinte analogia: o ritmo é o “motor a música”. A bateria, o baixo e a guitarra base, por exemplo, são instrumentos rítmicos.

      O baixista Ross Valory e o baterista Steve Smith, durante um show da banda Journey

      A ex-cozinha do Journey, Ross Valroy (baixo) e Steve Smith (bateria), uma das mais  entrosadas do rock (Foto/Divulgação)

      O combustível que faz esse motor funcionar é a da duração das notas e dos acordes. Por meio desse combustível, é possível ditar o ritmo de uma música.

      Ritmo é o componente musical que está exclusivamente relacionado com o tempo, que é chamado de “velocidade de uma música”. O tempo pode ser medido por BPM (batidas por minuto). Músicas mais rápidas, possuem um maior BPM, ao contrário de músicas mais lentas, que possuem um menor BPM. Para medir BPM, você precisa saber como usar o metrônomo.

      O que é a harmonia na música?

      Antes de entrarmos nessa seara, precisamos relembrar/aprender [pra nunca mais esquecer, hein ;) ] alguns fundamentos acerca do conceito de acorde. Se liga só:

      • Acorde: é a união de duas ou mais notas musicais tocadas simultaneamente.
      • Nota musical: é a partícula mínima de um som, formada por um único modo de vibração do ar. Cada nota corresponde a uma duração e está associada a uma frequência, cuja unidade de medida utilizada é o hertz, a qual descreverá se a nota é mais grave ou mais aguda.

      Seguindo o jogo, voltamos à harmonia! Em sua etimologia, a harmonia deriva do termo grego harmonía – que por sua vez quer dizer “união”, “concordância”, “combinação”, “acordo”, etc. Quando você toca um instrumento harmônico, como são o violão e o piano, por exemplo, você faz harmonia com os acordes no instrumento, uma vez que cada acorde é uma sobreposição de notas, e é por isso que os acordes fazem parte da harmonia.

      Jovem sentado no banco de um home studio toca violão. Atrás dele, há um teclado

      O violão é um ótimo instrumento para criar harmonias (Foto/Pexels)

      Desta forma, no que diz respeito à teoria musical, harmonia é quando duas ou mais notas são tocadas ao mesmo tempo. Para soar de forma agradável, a harmonia deve ser formada por sequência de acordes que combinam entre si. Para rolar essa combinação, os acordes geralmente estão dentro de um mesmo tom. E o tom, por sua vez, vem de uma escala. Essa conversa sobre tons e escalas musicais, no entanto, a gente vai ter num próximo post. Fique ligado!

      Qual é a função da hamornia?

      A harmonia tem função de acompanhar a melodia, isto é, a harmonia é o elemento que dá sentimento à música. Músicas de aspecto mais alegres, no geral, estão em uma tonalidade maior, ou seja, possuem possuem mais acordes maiores do que menores. O contrário acontece nas músicas mais melancólicas.

      O que é a melodia de uma música?

      Em suas origens, a palavra melodia vem do grego meloidia, que quer dizer algo como “canto (em grupo, coral)”. Trata-se da junção dos termos mélos (“canção”) e oidé (“poema feito para ser cantado”).

      A melodia o componente mais memorável da música. É o som que você cantarola ou assobia quando se lembra de uma música. De maneira bem resumida, é a essência da canção.

      Homem negro, gordo e mais velho toca saxofone, sentando em um banco de praça

      O saxofone é um instrumento completamente melódico (Foto/Pexels)

      Existem instrumentos específicos para melodia, também chamados “instrumentos melódicos”. A gaita, o saxofone, a flauta – e instrumentos de sopro em geral – são exemplos de instrumentos melódicos.

      No campo da teoria musical, a melodia é a sequência de notas sem sair do tom e obedecendo a escala. Por exemplo, se a canção está na tonalidade de Sol maior, a melodia vai ter como base as notas da escala de Sol maior. Além disso, as notas que constroem a melodia precisam ter duração, pausa e ritmo.

      Mais aulas de violão para iniciantes

      Se você está realmente determinado a aprender tocar violão, preciso te indicar mais alguns conteúdos que são verdadeiras aulas para os músicos iniciantes. Dê uma boa olhadinha nos conteúdos abaixo e, certamente, não se arrependerá.

      E não pense que acabou, hein? A cereja do bolo está nas próximas linhas :)

      Curso de violão do Cifra Club

      Chegou a hora de dar o primeiro passo mais firme rumo ao aprendizado? Se a sua resposta for “sim”, saiba que o Cifra Club será o seu guia. De maneira acessível e inovadora, o site reuniu os instrutores Leo Eymard e Gustavo Fofão no projeto Como Tocar Violão, um curso de violão online e gratuito.

      A didática das aulas é voltada para iniciantes. Desta forma, você vai conferir conteúdos que dão dicas sobre “qual violão comprar”, que ensinam “como afinar o instrumento”, entre outros temas básicos. No final das contas, você fechará um ciclo de aprendizado com o título de Rei da rodinha de violão, isto é, o cara que vai animar todas as festas, viagens com galera, acampamentos e luaus.