Notificações Amigos pendentes

      Cifra Club News

      Fingerstyle para iniciantes: 7 erros que travam sua evolução

      23 de julho de 2020 10:29 Por Gustavo Morais

      Se você é iniciante no violão fingerstyle, certamente comete alguns erros que travam os seus estudos. Pode ser, por exemplo, ter pressa para conseguir bons resultados. Você também pode acreditar que essa técnica só serve para violonistas profissionais.

      Homem sentado toca violão com a écnica fingerstyle

      Há erros que você precisa evitar para conseguir evoluir no violão fingerstyle (Foto/Pexels)

      No texto de hoje, você descobre quais são os 7 erros que impedem a sua evolução no violão fingerstyle. Como sempre, meu amigo e minha amiga, não vou te oferecer métodos e fórmulas milagrosas. Nossa conversa vai exclusivamente girar em torno de erros que todo músico iniciante tende a cometer na hora de estudar essa maravilhosa técnica de tocar com os dedos.

      Vamos nessa?

      1 – Achar que fingerstyle é só para quem é expert

      Muitas pessoas pensam que para tocar fingerstyle é preciso tocar violão ou guitarra já num nível avançado. Isso não é verdade! Fingerstyle é uma forma de tocar violão e existem exercícios e músicas também para quem está começando.

      Como resolver isso?

      Comece fazendo exercícios que trabalhem a independência do polegar da mão direita são ótimos para começar. Enquanto o polegar executa um padrão de acompanhamento, os outros dedos da mão direita tocam em blocos, reproduzindo acordes; ou tocam notam isoladas, simulando trechos de melodias.

      Músicas para começar fazem parte do repertório de “fingerstyle tradicional”: Freight Train, Windy and Warm, etc. Músicas que possuem linhas de baixo contínuas também são boas para começar, como, por exemplo, Viva La Vida, With or Without You e Rolling in the Deep.

      2 – Pensar que fingerstyle é tocado só em violão de aço

      Não é verdade. Fingerstyle é uma forma de tocar o instrumento usando os dedos ao invés de usar uma palheta. Sendo assim, é possível tocar fingerstyle, ou seja, tocar com os dedos, tanto nos violões com cordas de aço, como nos de nylon. Além do mais, é possível tocar até mesmo na guitarra ou no ukulele.

      O guitarrista Mateus Asato toca fingerstye ne guitarra elétrica

      Mateus Asato usa a técnica fingerstyle para tocar guitarra (Foto/Divulgação)

      Exemplo disso é o próprio Chet Atkins, considerado uma das maiores referências do estilo, que já fez muitas gravações de fingerstyle na guitarra. E tem também o caso do guitarrista Mateus Asato, que também faz vários arranjos para guitarra em que não usa palheta.

      Não creia mais nessa fake news ;)

      3 – Desistir nas primeiras dificuldades

      Tocar um instrumento é desafiador, portanto existe paciência, organização e disciplina. Muitas pessoas desistem já no começo, pois acreditam que tudo será difícil. Na verdade, é bem provável que essa gente não está estudado da melhor forma.

      O estudo de fingerstyle exige metas, constância nos estudos e principalmente organização e disciplina. Estes últimos são os responsáveis diretos pelo resultado.

      Quando o seu tempo de estudo é bem dividido, você otimiza o seu tempo e rende muito mais, pois, consegue se manter focado. Isso é fundamental para a evolução em qualquer forma de tocar.

      4 – Se comparar com outros músicos que tocam fingerstyle

      Cada músico tem uma história diferente. Hoje, graças à internet, é possível conhecer vários músicos excepcionais. Isso pode ser extremamente estimulante ou extremamente desanimador. A melhor estratégia é usar esses vídeos para se inspirar e não para se comparar.

      Duas pessoas tocando violão juntas

      A música jamais pode ser encarada como uma forma de competição (Foto/Divulgação)

      É muito importante lembrar que tudo começa do começo. Um iniciante no violão geralmente tem dificuldade com pestana. No começo parece que essa dificuldade nunca passará. Mas com o tempo, a pestana se torna algo comum. Consequentemente, depois de serem estudadas, as técnicas de fingerstyle acabam se tornando comuns.

      Tenha paciência, respeite seu próprio e nada de se comparar com outros músicos. Cada um tem suas individualidades e isso é o que torna a música tão fascinante.

      5 – Querer tocar arranjos complexos sem dominar as técnicas

      Muitos arranjos de fingerstyle exploram o violão das formas mais inusitadas. Batidas no tampo, no escala do instrumento, no fundo e na lateral, usando os dedos, as unhas e partes da mão que não são usadas habitualmente. Violonistas que tocam assim desenvolveram essas habilidades depois de estudar o básico do fingerstyle.

      Inclusive, Tommy Emmanuel e Mike Dawes dizem que a melhor forma de começar estudando fingerstyle é estudando Travis Picking, que é uma técnica que consiste em separar os movimentos do polegar que toca os baixos dos acordes, enquanto os outros dedos tocam o restante do acompanhamento e a melodia.

      Portanto, é fundamental desenvolver uma base técnica sólida para depois começar a se aventurar por arranjos mais complexos que exploram o violão das formas mais variadas.

      6. Desistir rapidamente de uma música ou um assunto que começou a estudar

      Em função da quantidade de informação que existe hoje à disposição das pessoas através da internet, é muito fácil se perder em meio a elas. Muita gente começa estudando um assunto e no dia seguinte já passa para outro.

      Um exemplo claro disso, acontece com o estudo de repertório. Num dia, a pessoa decide aprender uma determinada

      música. Alguns dias depois, ela parte para outra sem ter terminado a primeira e acaba aprendendo vários trechos de músicas.

      A facilidade de acesso à informação hoje é algo muito positivo, mas é muito importante traçar um objetivo e cumpri-lo até o fim. Só assim a evolução pode ser mensurada e a melhora acontece.

      7. Estudar sem foco e num lugar inadequado

      Para que o aprendizado aconteça da melhor forma, é preciso que o aluno tenha foco e um lugar adequado para estudar. Hoje existem milhares de distrações e um ambiente favorável traz uma grande vantagem para quem quer concentrar e aproveitar ao máximo o momento que separou para aprender algo.

      Garota tocando violão, enquanto sua aniga está deitada no sofá e com celular em mãos

      É muito fácil parar de tocar violão e ir conferir notificações no celular (Imagem/Divulgação)

      Esse lugar deve ser silencioso e, preferencialmente, longe de dispositivos conectados à internet. Muitas vezes precisamos de um computador ou do próprio celular para estudar. O ideal é que estes estejam desconectados da web. Só assim, você conseguirá evitar que as notificações de mensagens tirem o seu foco.

      Para quem quer aproveitar ao máximo o momento do estudo, é muito importante não parar para responder mensagens, checar as redes sociais ou qualquer outro tipo de distração. Isso atrasa o processo e traz uma sensação de que o estudo não está rendendo, quando, na verdade, só está faltando foco para que o tempo seja bem aproveitado.

      Se você está por aqui é porque se interessa por violão e quer aprender cada dia mais, certo?

      Leo Eymard e Gustavo Fofão, instrutores do CifraClub, tocam violão fingerstyle

      Vem aprender a tocar violão fingerstyle com Leo Eymard e Gustavo Fofão (Imagem/Divulgação)

      Caso queira receber conteúdos sobre fingerstyle, aprender mais sobre a técnica e conhecer nosso curso, cola na gente e se inscreva por aqui!