Notificações Amigos pendentes

      Cifra Club News

      As 7 melhores músicas pra tocar e celebrar a obra de Noel Rosa

      19 de agosto de 2020 14:02 Por Gustavo Morais

      “Carioca da gema”, Noel Rosa foi um importantíssimo cantor, compositor e multi-instrumentista da música brasileira do século XX. Apesar de ter tido uma vida curta, construiu um legado artístico que contempla mais de 200 canções. Os reflexos de seu estilo de composição podem ser observados na MPB, no samba, na bossa nova e até no sertanejo.

      O sambista, músico e artista Noel Rosa tocando violão

      Noel Rosa é um símbolo da música brasileira popular (Reprodução/Internet)

      Noel também exerceu papel de agitador cultural! Afinal de contas, foi um dos protagonistas da legitimação do chamado “samba de morro” no asfalto, ou seja, a obra dele foi ponte do estilo entre a classe média e o rádio, principal meio de comunicação daqueles tempos.

      Neste post, vamos conversar um pouquinho sobre esse artista tão legendário. Além de curtir/conhecer alguns clássicos imortalizados pelo nosso homenageado, você confere as cifras para tirar músicas de Noel Rosa no violão. Olha só as canções que selecionei para essa nossa prosa:

      • Conversa de Botequim
      • Fita Amarela
      • Com Que Roupa?
      • Feitiço da Vila
      • Palpite Infeliz
      • São Nossas Coisas
      • Último Desejo 

      Logo de cara, já deu pra perceber o nível que seu repertório vai chegar? São canções que resistiram ao teste do tempo, de fato. Porém, não custa nada fazer nossa parte para que as novas gerações aproveitem a riqueza de um recorte tão importante da nossa cultura ;)

      Vam’bora conferir tudo isso?

      1. Conversa de Botequim

      Datada de 1935, essa canção foi feita com o compositor e arranjador paulista Vadico, o maior parceiro de Noel. Segundo historiadores, Conversa de Botequim é uma canção “escorregadia como um choro” e tem como ponto alto a harmonia entre letra e melodia.

      Vem tocar Conversa de Botequim, canção emblemática da carreira de Noel Rosa.

      2. Fita Amarela

      Cheia de dualidades e antagonismos [vida/morte, catolicismo/candomblé, branco/preto], essa música faz exaltação às mulheres e à boemia. Trata-se do autêntico lugar de fala do típico malandro, figura que inspirou boa parte da obra de Noel.

      Toque hoje mesmo a música Fita Amarela, uma ode à malandragem!

      3. Com Que Roupa?

      O “poeta da Vila” registrou essa canção em 1930. Segundo Noel, a letra poderia ser um retrato realista das dificuldades econômicas do povo, bem como representava a alegoria da situação política em torno da Revolução de 1930, golpe que levou Getúlio Vargas ao poder.

      Prepare os dedos, pois, a cifra de Com Que Roupa? tem mais de 30 acordes!

       

      4. Feitiço da Vila

      Eis uma canção em homenagem ao bairro de origem de Noel, a simpática Vila Isabel. A origem social dele, crescido no seio de classe média, e a condição de universitário (abandonaria o curso de medicina por causa da carreira artística) “justificam a originalidade e profundidade de suas formulações poéticas e o apelido que ganha de ‘Filósofo do Samba’”, segundo a Enciclopédia do Itaú Cultural.

      Confira a cifra de Feitiço da Vila, canção que foi gravada em 1934.

       

      5. Palpite Infeliz

      Registrado em 1935, esse samba marcou o ápice da disputa entre Noel Rosa e sambista Wilson Batista. O resumo dessa rivalidade é assim:

      • Wilson lançou Lenço no Pescoço, uma homenagem ao estilo de vida malandro; Noel respondeu com Rapaz Folgado, uma crítica àquele estilo de vida.
      • Batista então fez Mocinho da Vila, Rosa respondeu com a faixa Feitiço da Vila.
      • Irritado, Wilson escreveu Frankenstein, uma crítica a um defeito físico de Noel, mas ele não retrucou a provocação.
      • Batista insistiu com outra música, Terra de Cego, e Rosa usou a mesma melodia para compor a resposta, Deixa de Ser Convencido, que encerrou a polêmica.

      Quem venceu a disputa? Bom…  O subsequente sucesso das músicas Feitiço da Vila e Palpite Infeliz, indubitavelmente, deixam claro que o “filósofo do Samba” levou a melhor.

      6. São Coisas Nossas

      Essa música ilustra a veia crítica da poesia de Noel Rosa. Com bastante humor e ironia, a letra apresenta uma série de elementos considerados ícones do Brasil: o samba, o pandeiro, o malandro, a “bossa” do brasileiro (o famoso “jeitinho”), entre outros.

      No artigo O Samba Crítico de Noel Rosa, o autor contextualiza que a canção foi escrita “num período em que o governo de Getúlio Vargas (1930-1945) fomentou algumas construções simbólicas que corroboravam seu projeto político-ideológico de cunho nacionalista e populista, ou seja, época em que a valorização e a disseminação dessas imagens junto às massas emergentes nas grandes cidades visavam a reforçar os laços ‘afetivos’ entre o governo e a população.

      Aprenda a tocar com a cifra de São Coisas Nossas!

       

      7. Último Desejo

      Essa música foi composta no ano de 1937, quando Noel Rosa já enfrentava o estágio terminal da tuberculose. Sentindo que não viveria muito tempo, compôs essa canção em homenagem a Juraci Correia de Moraes, Ceci, bailarina de cabaré e grande amor de sua vida.

      Com uma rápida ligação entre pontos, você percebe que esta composição foi a de despedida de Noel Rosa em relação à sua amada. Por essas e outras, Último Desejo foi a trilha da cena final do filme Noel, poeta da Vila, cinebiografia do artista.

      Veja a cifra completa de Último Desejo, testamento sentimental do “poeta da Vila”.

      Mais sobre Noel Rosa

      E para encerrarmos essa homenagem com “chaves de poesia”, que tal conferir algumas curiosidades sobre vida e obra de Noel Rosa? É jogo rápido, conforme você confere abaixo.

      Qual o nome completo de Noel Rosa?

      Noel de Medeiros Rosa.

      Qual a idade de Noel Rosa?

      Ele nasceu no dia 11 de dezembro de 1910. Portanto, se estivesse vivo, no dia 11 de dezembro de 2020, ele completaria 110 anos.

      Qual foi a causa da morte de Noel Rosa?

      Noel Rosa faleceu no dia 4 de maio de 1937, na cidade do Rio de Janeiro, aos 26 anos, em consequência da tuberculose.

      Foto clássica de Noel Rosa fumando um cigarro

      Noel Rosa acende cigarro, em foto autografada para o parceiro Vadico (Reprodução/Internet)

      E se você curtiu este nossa arqueologia musical de hoje, meu amigo e minha amiga, que tal dar uma forcinha na divulgação? É bem simples: basta compartilhar o link deste post nas suas redes sociais e nos seus grupos de WhatsApp ;) Não podemos deixar a obra do “poeta das letras” longe dos olhos e ouvidos das novas gerações.