Notificações Amigos pendentes

      Cifra Club News

      Confira o que rolou no palco mundo no segundo dia do Rock in Rio 2013

      15 de setembro de 2013 12:10 Por Laiza Kertscher

      Aconteceu, no último sábado (14), o segundo dia da quinta edição brasileira do Rock in Rio, um dos maiores festivais de música do mundo. Após um primeiro dia recheado de música pop, eletrônica e axé, coube ao Capital Inicial abrir mais espaço para o rock no Palco Mundo. Para executar sua quarta participação na história do festival, a banda liderada por Dinho Ouro Preto prestou uma homenagem ao músico Champignon, morto a menos de uma semana. “Galera, como vocês sabem, o rock’n'roll brasileiro está de luto nessa semana”, lembrou Dinho, antes e de relembrar também o vocalista Chorão e de tocar com sua banda “Só Os Loucos Sabem”, música da carreira do Charlie Brown Jr.. Além das homenagens, a banda de Brasília também usou seu espaço no festival para criticar a atual situação política brasileira. Dinho dedicou a música “Saquear Brasília” ao deputado federal Natan Donadon, que está preso, mas teve seu mandato salvo pelo Congresso Nacional em votação secreta. “Vocês podem fechar os olhos e escolher o político preferido (para dedicar a música), mas eu prefiro dedicar ao Parlamento brasileiro pelo conjunto da obra”, alfinetou o cantor, que usava um nariz de palhaço. Como não poderia deixar de ser, a banda executou hits de toda sua carreira, como “Independência”, “Veraneio Vascaína” e “Natasha”.

      Já aquecido pelo Capital, o Palco Mundo voltou a levantar o público ao receber a banda 30 Seconds To Mars. Além da performance, o grupo de Jared Leto usou e abusou de declarações ao Brasil, bandeiras do país e camisetas da seleção brasileira de futebol para agradar os presentes. Sem economizar também nos efeitos especiais, a banda, cheia de energia, tocou hits como “Hurricane”, “This Is War” e Closer To The Edge”. Em um momento acústico, o vocalista da trupe foi pelos bastidores até a tirolesa, uma das atrações do “parque de diversões” do festival. Lá de cima, Leto cantou e tocou “The Kill”, saltando em seguida, mas sem antes dar espaço para as declarações de amor ao país e ao festival. “Obrigado, obrigado, obrigado”, agradeceu, em português, antes de voar sobre a pista.

      Descalça e trajando uma túnica azul esvoaçante, a cantora Florence Welch foi a próxima a tomar conta do Palco Mundo, acompanhada de sua banda, The Machine. Usando basicamente de sua voz poderosa e de sua competente banda de apoio, a inglesa mostrou que é possível agradar o público sem efeitos pirotécnicos. Correndo do palco, de ponta a ponta, a ruiva cantou canções como “Cosmic Love”, “Between Two Lungs”, “Shake It Out” e “Dog Days Are Over”, que foram bem recebidas pela plateia.

      Depois do clima místico de Florence, foi a vez dos roqueiros do Muse subirem ao palco. Acompanhados de um público empolgado, em sua segunda passagem pelo Rio de Janeiro, a banda fez jus ao posto de atração principal do segundo dia do festival. Sem se prender aos seus hits mais radiofônicos, o Muse abusou de guitarras e baixos distorcidos para animar a plateia, que aprovou, animada, a escolha. “Stockholm syndrome” e “Time Is Running Out” foram algumas das canções que levaram um som mais pesado da banda ao Palco Mundo. O clima mais pop do grupo apareceu apenas em faixas como “Panic Station” e “Plugin Baby”, que também agradaram. Sem se delongar nos discursos, o vocalista Matthew Bellamy elogiou brevemente a receptividade do público e se dedicou a oferecer ao Rock in Rio um show digno de uma atração principal de um grande festival de rock. Com carisma e empolgação, a banda encerrou o segundo dia do Rock in Rio com “Knight of Cydonia”.

      Veja fotos do segundo dia do Rock in Rio:

      Confira a homenagem do Capital ao CBJR: