Notificações Amigos pendentes

      Cifra Club News

      Caetano Veloso participa do novo disco de Emicida

      11 de junho de 2015 17:18 Por Rodrigo Noronha

      A MPB e o rap vão dividir o microfone no novo disco, “Ubuntu”, do rapper Emicida. Em comunicado à imprensa, Emicida revelou que Caetano Veloso vai participar da música “Baiana”. Produzida pelo DJ Duh, a canção foi gravada no último mês de maio.

      “A música descreve a Bahia como se ela fosse uma mulher. Um parceiro meu disse que Caetano cantou ‘Sampa’ sendo baiano, e agora a gente devolve com ‘Baiana’ sendo paulistano. Acho que é isso”, disse Emicida.

      Além do popular Caetano Veloso, Emicida também vai dividir o microfone com Vanessa da Mata, na faixa “Passarinhos”. Vindo para superar “O Glorioso Retorno de Quem Nunca Esteve Aqui”, indicado pela Rolling Stones como um dos melhores discos de 2013, o álbum “Ubuntu” deve chegar às lojas no segundo semestre desse ano.

      De volta às origens

      Emicida, já com 5 discos, foi um dos ganhadores dos editais do Natura Musical, programa realizado há nove anos pela empresa de cosméticos. Financiado pelo edital, Emicida fez uma viagem de 15 dias, por Cabo Verde e Angola, que serviu como base para a criação do novo álbum.

      Com o nome do disco baseado em raízes africanas, “Ubuntu” é um termo que significa “Eu sou porque nós somos”. O rapper buscou em sua viagem à África conhecer de perto toda a cultura africana e sua relação com o Brasil. O disco vai ter participações de artistas locais e misturar os ritmos africanos com o velho e bom samba brasileiro.

      Além do álbum, a viagem vai render um documentário, com roteiro do próprio Emicida, que vai contar a viagem do rapper e abordar a relação cultural entre a África e o Brasil.

      No último sábado (6), em uma entrevista à revista Carta Capital, Emicida falou sobre a composição do disco:

      “O processo de produção está fantástico, posso adiantar que, em termos de composição, não será um disco fácil. Quem achar que entendeu rápido é por que entendeu errado. Sentir pode ser instantâneo, mas é um disco que vai exigir muitas referências do ouvinte para ser apreciado em sua totalidade”.