Notificações Amigos pendentes

      Cifra Club News

      Led Zeppelin

      10 de dezembro de 2007 Por Cifra Club

      Led Zeppelin – O2 Arena, Londres – 10/12/2007.

      Sim, aconteceu. Desde 1980, o primeiro show completo de uma das maiores bandas de todos os tempos, o Led Zeppelin! Duas horas de emoção, êxtase e o bom e velho rock´n roll incendiando nossas almas.

      Os protagonistas da história: Jonathan Andrade (que vos escreve), Felipe Prata, André Medeiros e Lula, o presidente (do fã clube oficial), conhecido por Lula Zeppeliano.

      Chegamos em Londres no domingo, dia 09/12 e fomos direto do aeroporto para a O2 Arena, em North Greenwich, e logo de cara fomos barrados faltando apenas 10 minutos para as bilheterias fecharem, pois o pessoal da fila já estava lá há 6 horas esperando para buscar seus ingressos e suas pulseiras! Nossos corações já estavam a mil quando vimos os telões com propagandas do Ahmet Tribute e, claro, do Led Zeppelin.

      Na segunda-feira, às 8 da manhã, fomos para os portões na tentativa de pegar o mínimo de fila possível, e aconteceu! Quase ninguém na fila. Ingressos e pulseiras em mãos!

      O pessoal da Associated Press nos filma na fila e nos entrevista, pois mostramos estar muito realizados com a história que estava pra acontecer e, como viemos de longe, mostramos a bandeira do Brasil. Primeira entrevista em inglês.

      Passamos o dia todo apreensivos por causa do show, quando chegou a hora, entramos e Keith Emerson (Emerson, Lake & Palmer), com Simon Kircke (Bad Company) e Allan White (YES) (nas baterias) e Cris Squire (YES) no baixo já haviam começado sua curta apresentação (20 minutos) lotada de solos e finalizando com um trechinho de Kashmir.

      Durante o show de Bill Wyman and the Rythm Kings, foram convidados especiais os músicos Paul Rodgers (Free, Bad Company) e Alvin Lee (Ten Years After), tocando os clássicos All Right Now e Do right woman, Paolo Nutini (garoto novo, com muito talento), as meninas do Rolling Stones, e logo após, a banda Foreigner tocou seu maior sucesso: I want to know what love is.

      Na platéia, vários famosos: Paul McCartney, Mick Jagger, David Gilmore, Jeff Beck, Brian May, Marilin Manson, Dave Mustaine, Dave Grohl, os irmãos Lian e Noel Gallagher, The Edge, Juliete Lewis, Pink, Lisa Marie Presley, Kate Moss, Naomi Campbel, os garotos do Jet, do The Verve, entre outros.

      Cerca de 40 minutos depois dos shows de abertura: luzes apagadas. No telão a história do Led Zeppelin, junto a Atlantic, quando ele se apaga: “Good Times Bad Times”. A O2 Arena vai à loucura! Eles voltaram, em grande estilo com a música de abertura do primeiro álbum.

      Em seguida, Ramble On, Black Dog, In my time of dying e a premiere de For Your Life.

      John Paul Jones vai para os teclados: Trampled Under Foot.

      Robert Plant lembra a importância da figura de Ahmet Ertegun no mundo da música, dizendo palavras confortantes a família e agradecendo ao público por contribuir com a realização do tributo e que é uma honra ser Led Zeppelin outra vez. Plant elogia Jason Bonham, dizendo que, além de excelente baterista como seu pai, é também um ótimo cantor. Bonham então arrisca: “Ohh ohh… I can´t quit you, baby!” e Page logo entra com Nobody´s Fault but Mine.

      Luzes da O2 Arena se apagam e uma enorme estrutura se abaixa. Luzes em John Paul Jones: No Quarter, seguida do blues Since I´ve been Loving you, onde Robert Plant mostrou que a idade não influenciou em sua potência vocal. Impressionante!

      Page entra em êxtase em Dazed and Confused, com direito a arco de violino e teremin. Foram 10 minutos que pareceram 10 segundos.

      Enfim, a tão esperada música que, segundo Plant, nunca mais seria executada: Stairway to Heaven. Toda a Arena canta junto! E logo em seguida, quebrando a calmaria, passa logo o furacão The Song Remains The Same.

      Misty Mountain Hop abre alas para o ponto mais alto do show: Kashmir. Todos esperavam que fossem tocar esta música, mas ninguém esperava a intensidade e fervor dos músicos. Só de escrever essa matéria, me arrepio. Kashmir foi sem dúvida, a melhor música do show, onde pudemos realmente sentir como a música está na alma dos caras e como nos encanta!

      Fim do show? Não, nós queríamos mais. E eles nos atendem com Whole Lotta Love. Fim do show outra vez? Não, nós ainda queríamos mais!

      Eis a que faltava. Um show do Led Zeppelin, sem essa música, não seria um show do Led Zeppelin. A finalização: Rock´n Roll.

      Um show inesquecível! Destruindo qualquer crítica negativa anteriormente feita ao encontro tão esperado! Robert Plant com sua magnífica voz, John Paul Jones com seus 4 diferentes baixos e seus teclados, Jimmy Page, com suas 5 guitarras Gibson e o filho do homem, Jason Bonham, que honrou o nome de seu pai e marretou! Sem dúvida, não poderia ter sido outro no lugar de John Bonham, como foi especulado. Superou todas as expectativas!

      Após o show, fomos entrevistados pelos jornais brasileiros O Estado de São Paulo, O Globo e JB.

      Na manhã de terça-feira, o Led Zeppelin era manchete de todos os jornais londrinos, como era de se esperar: The Led Zeppelin takes flight, The Song Remains the Same (The London Paper), Zeppelin Lead The Fans To Heaven and Back (The Evening Standart), Led´s Go On Tour (London Lite), Led Zeppelin sales soar after concert success, Led Zeppelin: Then it got better still (Daily Telegraph), Led Zep’s song remains the same (BBC News). E também nos brasileiros como: Led Zeppelin toca 16 músicas no primeiro show completo desde 1980 (O Globo), Led Zeppelin faz show histórico em Londres (BBC Brasil), Brasileiros contam com a sorte no show do Led Zeppelin (O Estado de São Paulo) e Presidente do fã clube do Led Zeppelin foi ao show em Londres (JB Online). SENSACIONAL!

      Muitas das pessoas com quem conversamos lá, assim como muitos jornais, disseram que, comparando com o Led da década de 60 e 70 com esta nova formação, está ainda melhor do que a anterior por motivos simples: o amadurecimento profissional dos integrantes e a tecnologia disponível hoje em dia, com recursos de som e imagens que há 30 anos jamais se imaginariam existir.

      Só temos duas palavras a dizer… FOI FOD*!

      Participamos de um momento histórico. A importância de cada um de nós quatro, fãs, nessa viagem, foi o marco de grandes amizades. Nossas vidas agora têm um antes e depois do Led Zeppelin.

      Pra completar, fomos até a casa do Page, mas infelizmente não foi possível encontrá-lo. A casa do cara é muito louca, só vendo! Parece um castelinho, uma igreja medieval. Na próxima vez, a gente o encontra (hehehe).

      Agora, que chegue logo o DVD do show e torçamos por uma turnê!

      Obrigado amigos!

      Obrigado Led Zeppelin!

      Este texto foi escrito por Jonathan Andrade (vocalista e baixista da banda Os Caras Trio e autor do blog LedZep2007 ).

      Comente à vontade, mas pegue leve com os palavrões e/ou ofensas senão seu comentário pode ser editado ou deletado. =)